A inteligência musical de José Martin Geyer

José Martin Geyer

No passado domingo à tarde, 8 de Janeiro, assisti no auditório do Fórum Jovem da Maia, ao concerto do jovem pianista José Martin Geyer, que desse modo assinalou a passagem à maioridade.

No programa que apresentou ao público que lotou por completo a sala, o jovem músico reuniu um conjunto de propostas musicais bem demonstrativo da sua versatilidade.

Em dia de aniversário, José Martin Geyer, provou ao piano que a passagem à maioridade artística já tinha ocorrido há mais tempo do que a maioridade civil.

Nas interpretações de pendor mais jazzístico, apresentou um domínio técnico muito maduro que lhe permitiu improvisar com muita segurança e até uma certa ousadia, experimentando acordes improváveis de grande efeito.

Entrando no domínio da Pop, com incursões na Música dos suecos ABBA, dos britânicos Elton John e David Bowie, José Martin Geyer, afirmou categoricamente a sua inteligência musical, traduzida numa improvisação que permitiu ao público ir reconhecendo as principais referências melódicas, servidas por uma harmonia e construção rítmica que respeitavam o carácter próprio da Música original, acrescentando-lhe o seu cunho e assinatura pessoais, expressos em acordes densos e fraseados muito interessantes que preenchiam muito bem todo o espaço harmónico que a Música lhe proporcionava.

Estas qualidades consubstanciaram-se num som poderoso que se projectava por todo o auditório, numa irreverente exploração do potencial tímbrico do piano, patente nos contrastes que conseguiu exibir, fazendo soar diferentes matizes e recursos expressivos que retirou do seu instrumento.

A sua inteligência musical e o seu talento pianístico foram, do meu ponto de vista, mais audíveis, no medley de canções de Elton John, de que ele próprio foi autor do arranjo, não apenas pela forma muito apropriado como ligou rítmica e harmonicamente os diversos temas, mas sobretudo pela forma como conseguiu ir mudando a cor e o recorte harmónico de todas as passagens, numa coerência musical muito bem sucedida.          

Consolidei a minha funda convicção que o jovem músico e pianista tem vindo a crescer harmoniosamente a todos os níveis. Tem crescido em estatura física, intelectual, espiritual, mas também em estatura artística, revelando-se cada vez mais um Músico muito inteligente e talentoso.

Victor Dias