,

Bragança Fernandes anunciou candidatura à Assembleia Municipal da Maia

Em final de mandato e impossibilitado por lei a recandidatar-se à presidência da Câmara, Bragança Fernandes anunciou que se irá candidatar à presidência da Assembleia Municipal, ao lado de António Tiago, candidato do PSD.

A revelação foi feita no discurso durante uma reunião de conterrâneos, onde Bragança Fernandes foi homenageado por perto de 600 pessoas em Águas Santas.

Da organização do almoço de homenagem no pavilhão da Associação Atlética de Águas Santas, no último domingo, fizeram parte todas as instituições da freguesia e todas elas estiveram representadas neste convívio, onde Bragança Fernandes não se despediu, disse apenas “Até já”.

António Tiago confirmou que convidou Bragança Fernandes para a candidatura à Assembleia Municipal, pelo que ele “não se despede”. E adianta: “quando o convidei achei que ele não ia recusar e sempre me confidenciou que, a fazer algo, depois de tudo o que já fez na vida, gostaria de continuar aqui na Maia e não noutra geografia próxima. Portanto, ele vai ajudar-me e acho que faz muito bem. Será uma transição tranquila”.

Surpresa e emoção à mesa de Bragança Fernandes

Imperou a emoção e o reconhecimento. Em termos pessoais, Bragança Fernandes contou com o apoio de toda a família (três filhos) e foi surpreendido com a presença da filha e da neta, que se encontram a viver na Holanda. Logo à entrada, ficou sensibilizado e com as lágrimas a espreitarem, quando a neta lhe saltou para os braços num abraço de saudade. O autarca maiato admitiu que é “um pai coruja” e esta surpresa deixou-o arrebatado.

Em termos políticos, também fica a sensação de missão cumprida, pelo menos, tem a consciência de que fez o “trabalho que sei fazer e como soube fazer, tentei ser humanista, afável e estar próximo das pessoas. O que me traz o reconhecimento, que sinto na pele a qualquer lado que me desloco. Sinto-me feliz pela simpatia que recebo de volta”, frisou.

Recebeu convites para se candidatar a outras câmaras, mas recusou

No que respeita ao futuro, para já só decidiu que vai ser candidato à presidência da Assembleia Municipal, adiantando que não faltam convites para este ou aquele cargo, incluindo “convites para ser candidato à Câmara noutros concelhos”. Mas, disse Bragança Fernandes ao primeira Mão, “não estou interessado, pretendo continuar a servir a Maia, que me viu nascer e a ajudar o futuro presidente da Câmara Municipal sendo o presidente da Assembleia Municipal”.

Bragança Fernandes vai continuar como presidente da Distrital do PSD. Está no primeiro mandato e poderá cumprir três. “As coisas estão a correr bem”, disse-nos, mas ainda é cedo para divulgar se vou recandidatar-me e se vou colaborar noutras entidades, pois “o futuro a Deus pertence e há muitos pedidos”.

“Estou a fazer na distrital o que fiz na Câmara, estou a unir o partido. O momento atual não é o mais favorável, mas vou tentar manter as Câmaras do PSD e aumentar ainda mais uma ou duas, creio que é possível isso acontecer”, afirmou Fernandes.

O certo é que há muitas opções para o futuro, “poderei dedicar-me a empresas municipais, poderei dar o meu apoio pro bono a várias instituições. Sinto-me jovem, saio da Câmara com 69 anos, sinto-me com juventude plena e com vontade para ocupar um cargo, principalmente aqui na Maia e se os maiatos assim o entenderem”, concluiu o edil.

António Tiago tem sentido o apelo dos munícipes e promete não os defraudar quando for presidente da Câmara

As pessoas são “muito afetuosas comigo e muito generosas e estimulam-me solicitando-me que avance neste sentido em que estou a avançar”, isto é, para a presidência da Câmara da Maia, revelou o atual vice presidente, António Tiago.

Ao Primeira Mão, no almoço de homenagem a Bragança Fernandes, António Tiago mostrou-se satisfeito por “as pessoas transmitirem aquilo que eu também perspetivei e interiorizei em termos deste passo, que penso que é quase que uma exigência de mim próprio para com as pessoas e para com o concelho na generalidade”.

Esta é a sequência natural de anos de carreira política, frisou, recordando que entrou na Câmara “no mesmo dia que Bragança Fernandes” e que se deram “sempre bem” na dúzia de anos em que “estivemos com Vieira de Carvalho”. Depois da morte deste continuou cerca de 15 anos com Bragança Fernandes, até ao ponto de serem “uma espécie de irmãos”.

Cada um tem o seu feitio, diz António Tiago, “eu serei mais planificador e o Bragança mais emocional e mais político, porque também fez um percurso em que estava na ribalta por ser presidente, agora vou candidatar-me nesse sentido e se a população da Maia me der esse prazer acho que não os vou defraudar”.

Angélica Santos