,

PCP contra encerramento da agência CGD de Pedras Rubras

As notícias que indicam a decisão da Administração da Caixa Geral de Depósitos encerrar a dependência de Pedras Rubras, no concelho da Maia, até ao final de abril, devem, de acordo com o PCP Maia, “merecer o repúdio dos seus clientes e de todos que querem a CGD ao serviço do povo e do país”.

O PCP emitiu um comunicado na última semana em que afirma que a Caixa “deverá permanecer sob o controlo público e ter uma Administração que reforce a sua presença em todo o território nacional, sendo necessária e urgente a sua recapitalização.

Os planos de reestruturação devem produzir efeitos no sentido da alavancagem da economia nacional, não podendo servir de pretexto para o encerramento de balcões e despedimentos de trabalhadores, enfraquecendo o seu papel de banco público, para dessa forma defender os interesses da banca privada”.

Por proposta da CDU foi aprovada por unanimidade, na última reunião da Assembleia Municipal, uma moção contra o previsto encerramento das agências em Pedras Rubras e Ponte da Pedra.

“Perante a gravidade de mais este encerramento, a que se junta o ataque a muitos outros serviços públicos nos últimos anos, o grupo parlamentar do PCP na Assembleia da República já confrontou o governo acerca desta matéria”, acrescenta o comunicado.

Os deputados do PCP referem ainda que “sabendo que a CGD é a única dependência em Pedras Rubras, que tem um elevado número de clientes e de movimentos diários com grande importância para a população, sobretudo mais idosa, o PCP manifesta o seu total empenhamento na luta contra o encerramento das agências bancárias da CGD e a extinção de postos de trabalho, pelo que exorta a população a manifestar o seu repúdio por esta decisão”.

Esta argumentação foi explicada diretamente à população, em contactos que os deputados e elementos do PCP Maia efetuaram junto da população, na feira local, na passada quinta-feira.

Angélica Santos