,

África do Sul interessada na experiência da Maia em habitação social e tratamento de resíduos

A delegação veio até à Maia, na última quarta-feira, à procura de conhecimentos técnicos nas áreas de habitação social e de tratamento de resíduos sólidos.

O presidente da Câmara, Bragança Fernandes, recebeu oficialmente nos Paços do Concelho a delegação da República da África do Sul, composta pela Embaixadora, Mmamokwena Gaoretelelwe, pelo ‘First Secretary’, Reed Mkhohliso, e pelo Cônsul Honorário, António Schneider, bem como por 13 representantes de municípios do Estado do Free State.

O presidente da Maia afirmou que a habitação social no concelho foi edificada com a preocupação de não aglomerar ‘guetos’, proporcionando condições para o fácil acesso à prática desportiva e a espaços onde se possam cultivar alguns alimentos para consumo próprio. Aproveitou a ocasião para ofertar à embaixadora um livro sobre o Parque de Avioso, onde está explanada a experiência da Maia na construção de um parque de lazer, adequado a caminhadas e convívios em família.

Durante a manhã a comitiva sul-africana teve oportunidade de reunir com o diretor da Espaço Municipal – Renovação Urbana e Gestão do Património, E.M., Fialho de Almeida, a propósito da gestão da habitação social na Maia, e com a gestora da unidade de Negócio Internacional da LIPOR – Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, Susana Abreu, relativamente à transformação de resíduos sólidos em energia elétrica (biomassa).

São temas que interessam à comunidade do Estado do Free State, afirmou Mmamokwena Gaoretelelwe ao Primeira Mão, “queremos entrar em contacto com os conhecimentos técnicos destas áreas, porque precisamos de implementar programas de habitação social e de tratamento de resíduos, duas grandes necessidades da nossa população. Considerei esta vossa experiência muito interessante e resolvi trazer os responsáveis de municípios do Free State para ouvirem diretamente dos técnicos como se processam estes projetos. No futuro, poderão ser desenvolvidos protocolos com estas cidades, sendo que a implementação de projetos será ao nível municipal. A minha função aqui foi aproximar dos técnicos”.