,

Festas de Santo Ovídeo e Feira das Cebolas no Castêlo da Maia

Estes eventos decorrem entre 19 e 27 de agosto, numa organização da Junta de Freguesia do Castelo da Maia.
As festividades decorrem no Monte de Santo Ovídeo, castro que remonta à Idade Média, e nas suas imediações.

A organização, de entre as várias atuações, destaca na nota de imprensa a presença de Fernando Rocha (sábado 19, 19h00), Anabela e as Top Girls, (quinta-feira 24, 21h30), Augusto Canário e Amigos (sexta 25, 22h00), Cuca Roseta (sábado 26, 22h00) e Zé Amaro (domingo 27, 22h00).

A tradicional missa na capela do Monte de Santo Ovídeo realizar-se-á sábado, dia 26, pelas 9h30 e no domingo, dia 27, será celebrada a missa campal (17h00), saindo em seguida à rua a procissão (18h00).

Mas o programa é muito mais vasto, com animação musical diária. Assim, além do humorista na abertura, a noite de 19 de agosto terá um concerto com os Quadrante Norte.

No domingo, 20, haverá a abertura da feira de artesanato, enquanto o concerto às 21h30 será com a banda Rock “The Step”.

No dia 21, há duplo concerto, com Concertinas da Maia e Cancela Balazar, seguidos de Tino Leandro. Já na noite de 22, o espetáculo estará a cargo da Banda de Gueifães.

A noite de fados está reservada para a quarta-feira, dia 23. Para o dia seguinte, o concerto agendado é com Anabela e as Top Girls.

Chegados ao fim de semana, acontecem novos grandes concertos com Augusto Canário e Amigos, no dia 25, o festival de folclore na tarde de sábado, concerto de Cuca Roseta nessa noite, encerrando as festas no domingo, 27, com Zé Amaro a partir das 22h00. O espetáculo de pirotecnia às 23h45 coloca o ponto final neste evento.

Esta romaria conta ainda com diversas tasquinhas para restabelecer energias ou simplesmente petiscar.

Por fim, não há Festas de Santo Ovídio sem a tradicional Feira das Cebolas, que abre oficialmente este ano no sábado, dia 26, pelas 8h00, conservando um costume secular de uma freguesia que, embora industrializada, ainda preserva uma forte componente agrícola.

Santo Ovídio é considerado o protetor dos que sofrem de doenças auditivas e, há quem diga, advogado dos maridos infiéis. Segundo a tradição, terá sido enviado pelo Papa Clemente I à Hispânia a fim de reger a Igreja Bracarense, onde foi bispo no ano 95. Teria sido mártir pela sua fé cristã no ano 135 e sepultado na Sé de Braga.