,

Inaugurada a Horta de Fundo de Vila em Milheirós

A Horta de Fundo de Vila foi inaugurada no passado dia 14, constituindo a primeira Horta construída pela Maiambiente, mas a empresa municipal não pretende ficar por aqui.

Trata-se de um projeto desenvolvido em parceria entre a Maiambiente, a Lipor, a Câmara Municipal da Maia e a Junta de Freguesia de Milheirós.

O projeto de arquitetura foi da responsabilidade do Gabinete Verdepróspero, com assinatura da Arquiteta Paisagista Renata Ferreira com a colaboração da Arquiteta Paisagista Cláudia Vilar. 
Esta Horta inclui uma área de cerca de 2500 metros quadrados, distribuídos por 46 talhões, de cerca de 30 metros quadrados cada, em média.

A Câmara e a Junta são responsáveis por receber e encaminhar as inscrições e a Lipor vai ser a entidade gestora da horta, já que tem uma vasta experiência nesta matéria, com o projeto Horta à Porta, em que se integra, por sua vez, este novo projeto.

De acordo com o presidente da Junta, Vítor Fontes, a freguesia tem caraterísticas rurais, mas muitas famílias já têm outro modo de vida e outras já não têm terrenos, o que torna “importante haver esta iniciativa para continuar a dar ligação à terra”. Garantiu que, desde que o projeto foi apresentado houve muitos interessados que se apresentaram a um talhão.

Emanuel Monteiro, técnico da Lipor, explicou que esta é a 52ª horta implementada em colaboração com a Lipor no âmbito da parceria com os 8 municípios associados do projeto Horta à Porta.
Além da vantagem de produtos mais saudáveis produzidos, existe a vantagem de se fomentarem as boas práticas agrícolas e de reciclagem de matérias orgânicas.

António Tiago, vice presidente da Câmara da Maia, lembra que se trata de um “projeto municipal, mas desenvolvido pela Maiambiente e que se insere na responsabilidade social da empresa”.

“O projeto é suportado financeiramente pela Maiambiente, que comprou o terreno e realizou as obras, num custo global de 100 mil euros, sendo que só o terreno ficou por volta dos 70 mil. A Lipor entra com o conhecimento na formação das pessoas e na gestão da atividade na horta, implementando o regulamento”, explicou ainda António Tiago.