Visita pastoral à Vigararia da Maia encerrou em festa

Terminou no passado domingo, 4 de Fevereiro, às 15h00, no complexo municipal de ténis da Maia, a visita pastoral à Vigararia da Maia.

O Administrador Apostólico da Diocese do Porto, Dom António Taipa foi auxiliado nesta missão, pelos bispos Dom Pio Alves e pelo maiato Dom António Augusto Azevedo, que estiveram sempre acompanhados pelos párocos responsáveis por cada uma das dezoito comunidades paroquiais visitadas.

As visitas pastorais são uma prática instituída há séculos, tendo por finalidade essencial, manter os vínculos de proximidade da hierarquia da Igreja com as comunidades paroquiais, enquanto células sociais vivas e organizadas, quer para o culto religioso, como para a sua ação concreta na prossecução das obras de Misericórdia e Caridade Cristã.

Os três bispos tiveram semanas de intenso trabalho pastoral, ficando cada um com o seu grupo de paróquias, por forma a que as suas visitas contemplassem um contacto direto e tão eficaz quanto possível. Os bispos encetaram um diálogo enriquecedor, quer junto das pessoas que colaboram com os párocos no serviço às comunidades, dando o seu apoio à Catequese, ao culto e à dinamização dos diversos movimentos que emanam no seu seio, como no contacto com o mundo do trabalho, com o setor da, agora designada, economia e solidariedade social, entre outras atividades com relevância local.

Em declarações à imprensa, o Padre António Orlando dos Santos, Vigário da Maia, expressou a sua imensa satisfação afirmando: – “…ao acompanhar os senhores bispos nesta visita, senti que a terra está rasgada à espera da semente, senti que a Humanidade se abre à semente que a Igreja lança. Senti também que o Bispo se deu a conhecer às pessoas e foi acolhido com muito afeto e muita alegria. São tempos complexos e difíceis estes que vivemos, mas esta visita pastoral revelou o quanto a Igreja está para o Mundo, como a alma está para o corpo… senti que há uma imensa recetividade à Evangelização. Creio que existe esta abertura, precisamente porque as pessoas compreendem que a Igreja está ao serviço do Homem, da sua verdadeira felicidade e do bem-comum….”.

António Silva Tiago, líder público da comunidade concelhia da Maia, ausente devido a compromissos institucionais inadiáveis e há muito agendados, enviou uma mensagem dirigida ao Clero e à comunidade vicarial reunida naquela celebração de domingo à tarde.

A missiva do Edil foi lida aos presentes pelo Vigário, destacando-se do seu teor o seguinte parágrafo: – “Interpreto esta visita pastoral, como um gesto de proximidade e afeto cujos benefícios para a coesão social e reforço da pertença comunitária, irão surtir os seus efeitos benéficos, muito para além do tempo em que se realizou. E é nesse meu entendimento, que me identifico plenamente com os propósitos, e sobretudo, com os fins, deste serviço ao bem-comum, que o Corpo Episcopal da nossa Diocese veio prestar aos maiatos.

Sinto que a Paz e coesão social que sempre aqui vivemos, ficam ainda mais reforçadas com a vivência que acabamos de partilhar com os nossos Bispos, que “in loco” se inteiraram da nossa realidade.”.
Dom António Taipa, na sua intervenção sublinhou a alegria com que a comunidade maiata acolheu esta visita pastoral dos seus bispos, revelando-se tranquilo e confiante no trabalho que párocos e paroquianos estão a concretizar no serviço ao próximo e à Igreja.

Administrador Apostólico e bispos auxiliares estavam visivelmente contentes e satisfeitos no final da jornada em que se fez o balanço de uma visita cuja avaliação foi por todos considerada muito positiva e profícua.

Quer na celebração realizada naquele espaço desportivo adaptado, como nos outros momentos de partilha, o sentimento de alegria e júbilo que pairava no semblante das pessoas era de uma enorme alegria e de festa. Uma festa vivida por muitos, genuinamente em família, considerando que se juntaram naquela tarde de domingo, pais, filhos, netos, avós e demais parentes, num convívio intergeracional feliz e salutar.

Victor Dias