, ,

Cimeira da Educação com Emília Santos a anunciar diversos projetos

A vereadora da Educação da Câmara Municipal da Maia (CMM) reuniu cerca de 70 pessoas à mesma mesa, na Secundária de Águas Santas, na última terça-feira à noite, num encontro a que designou de Cimeira da Educação.

Emília Santos manteve um encontro de trabalho seguido de jantar com representantes da comunidade educativa da Maia, onde se incluíram: elementos da Câmara Municipal da Maia (Pelouro da Educação e Ciência; presidentes das Juntas de Freguesia; diretores dos Agrupamentos Escolares; direção da FAPEMAIA; presidentes das Associações de Pais.

A vereadora da Educação fez o ponto de situação de algumas das obras em curso nas escolas do concelho da Maia e abordou alguns projetos no âmbito da preparação do próximo ano letivo.

Esta é já a segunda reunião do género que a vereadora realiza desde que tomou posse, há cerca de seis meses. Emília Santos lembrou que a ação do município e do seu pelouro em particular é gizada em três vetores: 1 – Identificar problemas/planeamento; 2 – encontrar soluções e concretizar as principais medidas; 3 – Oportunidades/desafios para o futuro.

Assim, neste contexto de atuação, Emília Santos prestou contas de algumas obras já realizadas na pausa de Carnaval nalgumas escolas que haviam sido identificadas na primeira reunião. E, entretanto, aproveitou para anunciar algumas concretizações para breve: dia 11 de maio será inaugurada a intervenção efetuada na EB1 de Ferreiró.

Quanto à intervenção há muito pedida pelos pais e autarcas na EB1 de Moutidos, a vereadora da CMM esclareceu que vai ser realizada de forma diferente do que inicialmente estava previsto. As obras previam-se em duas fases durante dois anos letivos, com a deslocação das crianças para o Centro Escolar da Gandra, mas chegou-se à conclusão que seria mais seguro e mais rápido que a obra decorresse de outra maneira: com a instalação de oito contentores, no Polidesportivo, onde as crianças irão ter aulas, podendo as obras decorrer apenas ao longo de um ano letivo e sem interrupção.

Outro problema elencado e que já se encontra em vias de resolução é a falta de pessoal auxiliar nas escolas, tendo Emília Santos explicado que já foram contratados dez tarefeiros por avença para todas as escolas, um procedimento mais simples para solucionar em parte o problema. Mas que já se encontra em fase de concurso a contratação de mais 23 funcionários.

Para o próximo ano letivo estão previstas várias novidades no que respeita a conteúdos para o prolongamento de horário no pré-escolar daqueles alunos que dele necessitam. “Queremos que as crianças tenham mais atividades direcionadas com tempo de qualidade nesse prolongamento de horário e assim iremos criar um programa-chapéu, que incluirá cinco novas atividades enriquecedoras: Faz e Conta; Inglês associado a Novas Tecnologias; Plenamente – relaxamento e meditação; Musicalidade; Oficina dos sentidos”, afirmou Emília Santos.

A vereadora anunciou ainda projetos que irão apoiar ainda mais os alunos do concelho da Maia: plano de despiste das dificuldades de aprendizagem (como por exemplo, rastreios à visão); despiste precoce de dificuldades de linguagem; integração de novos conteúdos pesquisados pelos alunos na plataforma digital Participa+.

No 1º Ciclo, a vereadora também pretende abrir um novo programa-chapéu no prolongamento de horário a que ainda não deu nome, por ser “muito ambicioso e estar em desenvolvimento”. Para já, a Câmara da Maia tem como certa uma atividade designada A+ para esse programa, da responsabilidade dos agrupamentos, mas está disposta a apoiar mais três atividades nesse novo programa, para o que poderá investir 110 mil euros por ano letivo.

Tudo porque, explicou Emília Santos, a autarquia pretende “fidelizar os professores das Atividades Extra Curriculares (AEC), no sentido de que possa haver uma maior identificação das crianças com o seu professor e que este as possa acompanhar durante um longo período de tempo”.

Também está na manga um projeto piloto para o próximo ano letivo que pretende colocar as crianças a trabalhar num “ambiente educativo inovador”. O projeto será estendido a uma turma do 3º ano de cada agrupamento escolar , em que “o método de aprendizagem deixa de ser o de transmissão de conhecimentos por parte do professor, centrando-se no aluno e no seu trabalho de exploração do conhecimento, através de tablets e do apoio do caderno escolar digital da Porto Editora”, adiantou Emília Santos.

Importante será ainda, sublinhou a vereadora, a prestação de serviços que a Câmara Municipal da Maia acabou de contratualizar com David Justino, que “irá fazer um serviço de aconselhamento técnico e científico de tudo o que fazemos na área de Educação na Maia”.

Emília Santos justifica que este especialista na área Educativa, que já foi presidente do Conselho Nacional de Educação, irá trazer “a sua experiência muito profícua em redes de escolas de excelência, trabalho já desenvolvido na região de Lisboa e Vale do Tejo. Isto porque queremos ser um município certificado na rede de escolas de excelência”.

O momento foi aproveitado pela vereadora para distribuir por cada presidente das Associações de Pais a credencial da plataforma digital Participa +, que as crianças do pré-escolar da rede pública e solidária, bem como os alunos do 1º Ciclo já tiveram acesso.

Angélica Santos