, ,

Dia de festa na nova escola de Ferreiró

Esta sexta-feira, dia 11, pelas 17h30, foi inaugurada a requalificação da Escola Básica (EB) 1 de Ferreiró, do Agrupamento de Escolas do Castelo da Maia.

É praticamente uma escola nova com uma intervenção de fundo no valor de cerca de 500 mil euros, “uma verba considerável” proveniente na totalidade do orçamento da Câmara Municipal da Maia.

“Era uma escola do plano centenário, que foi totalmente remodelada, tendo sido depois construído um segundo volume, isto é, a escola foi ampliada com uma nova área. Fica aqui uma escola com excelentes condições quer de instalações, quer de condições para a aprendizagem”, adiantou o presidente da Câmara da Maia, António Silva Tiago, ao jornal Primeira Mão.

Professores, funcionários e alunos já se encontram na escola a trabalhar e a aprender, explicou o autarca, mas sentimos que era nossa obrigação proceder à inauguração dando assim um dia festivo a esta escola, proporcionando ainda um dia especial a toda a comunidade escolar.

“Agora vamos avançar com uma intervenção idêntica na escola dos Moutidos, em Águas Santas, onde o investimento é da ordem dos 2 milhões de euros, também do orçamento do município. Com essa escola completamente requalificada, fechamos toda a reformulação do parque escolar do concelho, que fica com excelentes condições”, referiu ainda o edil, acrescentando novas intervenções nas férias escolares.

Será então a vez de avançar, a partir de julho, com obras nas EB 2,3 da Maia, de Gueifães e de Moreira, sendo que esta última deverá “avançar mais para o final do ano, pois o processo está mais atrasado”.

Silva Tiago explicou que os concursos já foram abertos, estando duas das empreitadas à espera do visto do Tribunal de Contas, com a exceção da Escola de Moreira, cujo processo estará pronto para o visto do TC daqui a cerca de um mês.

A previsão é de que se desenvolvam as obras “a grande ritmo em 2019, para que em 2020 possamos ter as três escolas totalmente renovadas e em excelentes condições”.

Ao contrário das EB1 de Ferreiró e Moutidos, as verbas para as empreitadas das intervenções nas EB 2,3 têm “uma comparticipação de fundos comunitários, no âmbito do Portugal 2020”.

O presidente da Câmara da Maia designa a educação como “pilar fundamental no qual radica o nosso futuro coletivo é um desígnio estratégico que a todos mobiliza e estimula.

Entendo que proporcionar às nossas crianças e jovens uma educação de excelência é um desígnio comunitário, que pertence a todos prosseguir, famílias, escola e naturalmente à autarquia”.