Juventude Popular quer regresso da feira das Oportunidades

A Juventude Popular da Maia marcou presença no Conselho Municipal de Juventude, que decorreu no passado dia 12 de abril, no Fórum Jovem da Maia.

O Conselho Municipal de Juventude é um órgão consultivo formado pelos representantes de diversas instituições do concelho da Maia: Associações de Estudantes, Organizações Partidárias, Organizações Políticas, Organizações Profissionais, Organizações Artísticas, Organizações Sociais, Organizações Cívicas e Religiosas, Coletividades Culturais, Coletividades Desportivas e Recreativas, Assembleia Municipal e Juntas de Freguesias.

O objetivo principal deste órgão consultivo passa por envolver todos os agentes dinâmicos da juventude do município maiato, podendo ter assim voz na política da juventude do concelho.

No decorrer da sessão, ainda no “Período Antes da Ordem do Dia”, a Juventude Popular da Maia, através do seu presidente, Hugo Maciel, apresentou a proposta intitulada “Regresso da Feira das Oportunidades”.

«A Feira das Oportunidades decorreu entre os anos de 2006 e 2011 e tinha como objetivo possibilitar aos jovens maiatos a descoberta e clarificação do que pretendiam realizar a nível profissional, tendo também influência na decisão sobre a formação pela qual devem enveredar», refere a JP em nota de imprensa.

A JP Maia acredita que sendo a Maia um concelho com uma grande presença de empresas, esta iniciativa «iria contribuir para que os jovens descobrissem essas mesmas empresas e tivessem a perceção das skills desejadas. Por outro lado,as empresas podem dar-se a conhecer a todos os maiatos. Foi sugerida ainda a inclusão de outras entidades, como a PSP, a GNR, os Bombeiros, a Proteção Civil e ainda outras entidades ligadas ao associativismo juvenil», pode ainda ler-se na nota enviada à nossa redação.

Em suma, a Juventude Popular da Maia acredita que quantos mais meios forem colocados ao dispor dos jovens maiatos, para que possam definir o seu futuro com a máxima de certeza possível, não serão tempo perdido, pelo contrário, «será uma mais-valia para todos os jovens».
A JP Maia pediu ainda que fosse emitido um parecer à Câmara Municipal, relativamente a esta matéria.

JP Maia visitou instituição “O Mundo Pula”

A JP voltou ao terreno na última segunda-feira, para visitar a instituição de ensino “O Mundo Pula”, fundada há cerca de três anos na Cidade da Maia.

Surgiu da necessidade de existir um tipo de ensino que vá ao encontro das necessidades específicas de cada aluno e que quebrasse com o atual sistema de ensino industrializado. Além de possuir valências para ser designado por Jardim de Infância, realiza também Ensino Doméstico até ao 9º ano de escolaridade.

O Ensino Doméstico está previsto na Lei Portuguesa e permite uma aprendizagem com uma maior qualidade e com uma maior dedicação por parte do tutor ao estudante, permitindo uma adaptação do método de ensino ao aluno.

«Deste modo, os jovens podem beneficiar de um ensino de proximidade, entre o aluno e o tutor, com um ambiente bastante propício para a aprendizagem, como a JP Maia conseguiu comprovar. Este tipo de espaços, como “O Mundo Pula” tem vindo a ganhar força em Portugal, sobretudo na zona Norte», refere o líder da JP, Hugo Maciel, em nota de imprensa.

O dirigente considera que «instituições como o “O Mundo Pula” são de extrema importância para os nossos jovens, porque permitem um ensino de qualidade, que está personalizado para cada estudante de acordo com as suas necessidades educativas».