,

Alunos da Maia trabalham em projeto sobre igualdade de género

No âmbito do Projeto A+ 9º ano do Colégio Novo da Maia, o grupo de alunos constituído por Ana Sofia Gaião, Eduardo Vilarinho, Raúl Laranjeira, Pedro Guimarães e Maria Francisca Oliveira, decidiu abordar a desigualdade de género. O grupo considerou ser esta uma temática “importante a debater também em contexto escolar e mais atual do que nunca. Do nosso ponto de vista, a igualdade de género deveria ser uma condição óbvia, no entanto, ainda hoje, podemos assistir a demonstrações concretas de desigualdade de género”.

Os jovens do grupo de trabalho referiram ao Primeira Mão que acreditam que, “havendo mais aspetos em comum entre o homem e a mulher, do que os que os diferenciam, o ser humano deveria ser percecionado como indivíduo, nas suas especificidades, e não pelo seu sexo. Assim sendo, livre para fazer as suas escolhas e desenvolver capacidades e potencial pessoal, sem a restrição de estereótipos”.

Após constatarem que na realidade escolar também havia desigualdades de género e preconceitos acerca do tema, o grupo, tendo como lema «Mexer e fazer mexer», decidiu avançar para um trabalho de consciencialização na comunidade escolar para esta problemática. Colocaram mãos à obra e elaboraram alguns cartazes para promover esta discussão.

“Desde o momento em que os cartazes foram expostos no colégio, surgiram comentários menos positivos por parte de alunos, o que veio reforçar a urgência de desenvolver este tópico. A partir destas reações elaboramos também um vídeo de animação, utilizando as técnicas dinamizadas na disciplina de Educação Visual”, contaram os alunos.

Além deste trabalho o grupo levou a efeito um inquérito: “decidimos propor aos alunos de 3º ciclo e secundário da nossa escola que respondessem a um breve questionário anónimo, a fim de partilhar os resultados com o Serviço de Psicologia do Colégio, para que possam ser comentados no dia da apresentação final do projeto”.

Outra vertente do trabalho deste grupo é a simulação da criação de uma ONG (Organização Não Governamental) local para a igualdade de género com o nome ‘Think Equal’.

Assim, afirmam os jovens, “pretendemos inspirar para pensar”. Tendo lançado o desafio ao Primeira Mão para ajudar a difundir esta intenção de lutar pela igualdade, resolvemos responder afirmativamente e divulgar um dos cartazes elaborados bem como os objetivos do seu projeto.