,

Jafetos é uma associação com vontade de crescer

A Associação Jafetos está a celebrar dois anos de fundação. A instituição de jovens voluntários que apoia as crianças mais desfavorecidas nos estudos vai celebrar o 2º aniversário com uma festa este sábado, dia 9, durante a tarde, no Fórum Jovem da Maia.

A Jafetos nasceu de uma união de esforços de Paula Sá e do seu grupo de jovens da catequese da Paróquia da Maia. Paula Sá foi catequista durante alguns anos e desafiou o grupo de cerca de 26 jovens a fazer trabalho de voluntariado nalguns projetos sociais na Maia. Daí até ao projeto do Centro de Estudos, sob o lema “O bem que te fazia…se te ajudasse uma hora por dia!”, foi um impulso de reunir esforços individuais em prol da comunidade.

O grupo tornou-se oficial e solicitou apoio à Câmara Municipal da Maia. Atualmente têm um espaço para o Centro de Estudos no Bairro do Sobreiro e desenvolve ainda atividades no Fórum Jovem da Maia.

O bem estar social e o combate ao insucesso escolar são propósitos a prosseguir pela jovem associação, sendo que a tónica da metodologia é colocada na colaboração de jovens voluntários.

O Centro começou por apoiar 7 crianças, passou para as 16 atuais, sendo que, de acordo com a coordenadora Paula Sá, ainda neste ano letivo pretende-se chegar às 26 crianças apoiadas pela Jafetos.

Esta responsável defende que o apoio às crianças desfavorecidas no seu estudo é traçar o caminho da igualdade em termos de cidadania, pugnando pela verdadeira coesão e inclusão social. “O acesso à igualdade no ensino é fundamental”, defendeu em entrevista ao Primeira Mão, acrescentando que “a educação é uma arma e as atitudes são a insígnia que quer destruir o egoísmo, a intolerância e a desumanidade”.

O trabalho efetuado em dois anos é ainda a “ponta do iceberg” do que a Jafetos pretende ser na comunidade maiata, sendo que os seus responsáveis estão a realizar todos os esforços para dinamizar novos projetos e a desenvolver ainda mais os atuais.

Criação de dois prémios

Se já foram realizadas visitas de estudo a Lisboa e passeios ao Porto como forma de motivação das crianças para o estudo, Paula Sá adianta que pretende ainda criar dois prémios: o prémio de mérito e o prémio de esforço. Afinal, o empenho as crianças nos estudos é o grande objetivo da associação e os que conseguem seguir esse caminho devem ser premiados.

Por outro lado, a associação está à procura de uma solução que permita transportar os alunos das suas instalações para a escola e vice-versa, tendo em conta que nem sempre as condições atmosféricas são aliadas, dificultando, por vezes, a capacidade de concentração nas aulas e colocando em risco a saúde dos alunos.

“Decerto não é agradável estar ensopado numa sala de aula, com pés ou roupa molhados, pelo que os alunos não estarão tão predispostos a ouvir os professores, ficando em desvantagem em relação àqueles que têm transporte até à porta da escola. Por isso, estamos em negociações com a Câmara Municipal, tendo a vereadora da Juventude sido bastante compreensiva com a nossa causa”, explicou a fundadora da Associação Jafetos.

“Ser + Social”

Outro dos anseios da associação é organizar uma grande Ceia de Natal Social numa tenda gigante no centro da Maia. Seria uma forma de colocar todos os maiatos num ato de convívio, cívico, solidário, sem preconceitos, apenas com o propósito de “ajudar o outro e também conviver entre si”. E esta é uma das atividades inserida num novo eixo, segundo Paula Sá, em desenvolvimento na instituição, o “Ser + social”.

Mas para realizar esta e outras atividades e projetos são necessários os apoios financeiros e logísticos. Além da procura de parcerias, a coletividade irá levar a efeito algumas ações, como a negociação junto de grandes superfícies para uma recolha junto dos clientes de donativos em material escolar.

Angariação de mais sócios

Outra ideia para angariar fundos é criar diversas categorias de sócios, dado que a associação tem poucos a pagar quotas. Assim, de acordo com as possibilidade de cada um, poderá haver diferentes contributos e associados. Assim, os sócios Jafetos pagam 1 euros por mês, haverá entretanto os sócios solidários a contribuírem com 30 euros por ano, os sócios ouro a pagarem uma quota de 60 euros por ano. Tentar-se-á ainda captar empresas para se associarem com uma quota de 200 euros anuais.

Acima de tudo, o que a Jafetos pretende, sublinhou Carminda Moreira, sócia honorária da associação também entrevistada pelo Primeira Mão, é no futuro trabalhar na bolsa de jovens voluntários. “Sendo os nossos voluntários jovens universitários, nem sempre têm tempo disponível, pelo que é necessário ter mais gente pronta a ajudar”, referiu esta dirigente.