, ,

Notório aumento de peregrinos no Caminho de Santiago pela Costa

A Maia foi o concelho escolhido entre os 10 municípios envolvidos no projeto de valorização do Caminho Português de Santiago para receber o Congresso internacional. O que sucedeu nos dias 1 e 2 de junho, no Fórum da Maia.

O Congresso intitulado “Caminhos de Santiago e o seu impacto no Turismo do Norte de Portugal e Galiza”, teve como anfitrião principal, na sessão de abertura, o presidente da Câmara Municipal, António Silva Tiago.

O autarca referiu que atribui a este evento muita importância, com “relevância cultural e social cujos impactos positivos que só daqui a muito tempo se poderão aquilatar devidamente.

Na verdade, os Caminhos de Santiago, foram uma rota fundamental na conformação de uma identidade cultural agregadora que lançou pontes e estabeleceu laços comuns, de comunidades e pessoas que ao longo de muitos séculos, partilharam esse Caminho.

Movidos pelas suas crenças mais profundas, as suas múltiplas dimensões de humanidade, mas também pelas suas capacidades de superação. E por essa via, foram construindo paulatinamente um eixo atlântico fundador da identidade luso-galaica, senão mesmo luso-ibérica, com expressão em todas as latitudes do mundo”.

Silva Tiago salientou ainda “a capacidade dos 10 municípios, em que a Maia naturalmente se integra, que souberam conceder a devida importância ao projeto do Caminho da Costa, e se dispuseram a uma cooperação proativa, franca, empenhada e eficaz, que está a dar bons frutos.

O Caminho da Costa, afirma com inequívoca notoriedade pública e ampla adesão dos diversos atores comprometidos com o projeto, que os municípios, pese embora os diversos constrangimentos e condicionalismos que limitam a sua capacidade de ação em favor das comunidades, têm ao seu serviço, líderes políticos e quadros técnicos dotados de um perfil de alto desempenho, que quando abraçam um projeto em que acreditam verdadeiramente, trabalham com todo o denodo e paixão, na prossecução dos seus objetivos”.

O autarca frisou que esta é “uma caraterística de quem está próximo das comunidades, de quem conhece as pessoas pelo nome, de quem procura saber o que pensam, o que sentem e no que acreditam. Essa é uma caraterística que faz a diferença, toda a diferença, entre estar num gabinete, ou fazer o Caminho a par e passo com as pessoas e com as suas comunidades.

Confesso-vos que nestes tempos mais chegados, tenho vivido intensamente essa experiência, com a qual me sinto muito confortável e enriquecido humana, social e até politicamente, compreendendo melhor, desse modo, a exigência e nobreza da missão de servir com proximidade, estando a caminho com as pessoas.

A caminho, ajudando a construir o desenvolvimento integralmente sustentável, a prosperidade e a felicidade de pertencer a uma comunidade que vejo como uma família feliz, a Maia”.

António Silva Tiago terminou a sua intervenção sublinhando que o Caminho da Costa, constituiu um “projeto exemplar de cooperação e partilha” de 10 municípios: Porto, Matosinhos, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença.

O vereador da Câmara da Maia, Paulo Ramalho, apresentou o balanço do projeto “Caminhos de Santiago – caminho português da costa”, tema que deu origem a uma exposição, que foi a seguir inaugurada no Fórum.

De resto, uma das principais conclusões do balanço do projeto de valorização do Caminho Português da Costa é o grande crescimento de peregrinos registado neste percurso, após o investimento em áreas como a sinalética, património e animação cultural.

Exemplo deste crescimento é bem notório nos números apresentados: de 2016 para 2017, os peregrinos no Caminho de Santiago como um todo aumentaram 8,34%, no Caminho Português aumentaram 19,57%, enquanto que no Caminho Português pela Costa houve um aumento de 181,46%.