Feira Medieval de Moreira atraiu 5 mil pessoas

Pela edição de 2018 da Feira Medieval de Moreira passaram mais de 5 mil visitantes, o que atesta o sucesso desta iniciativa já na oitava edição.

A VIII Feira Medieval de Moreira da Maia, no primeiro fim de semana de junho, foi uma organização do Agrupamento de Escolas Dr. José Vieira de Carvalho, que contou com o apoio da Junta de Freguesia de Moreira, da Junta de Freguesia de Vila Nova da Telha e da Câmara Municipal da Maia.

No dia 1 de junho realizou-se um grandioso espetáculo constituído pelo Cortejo e Abertura da Feira – Leitura da Carta de Foral. Depois até 3 de junho realizaram-se diversos tipos de animação com a evocação medieval, como Torneio de Armas “Senhores da Maia” e “Espadas de Santa Maria”; Torneio de Armas “Espadas de Santa Maria”; Torneio de Preito e Homenagem aos Senhores da Maia – Confronto de Homens de Armas da Casa da Maia e da Casa de Moreira.

“Os nossos alunos do Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho foram os Reis da Festa, onde não faltou animação e alegria”, referiu Emília Santos, vereadora da Educação, que não esqueceu de enaltecer o entusiasmo de pais e professores.

“A Feira Medieval de Moreira tem um carácter singular, na medida em que é uma iniciativa do Agrupamento de Escolas, que pretende envolver toda a comunidade escolar do agrupamento, desde as seis Escolas EB1/JI à Escola EB 2/3 e Secundária Dr. José Vieira de Carvalho.

Nesse sentido, os alunos são as estrelas principais das atuações, ao longo do programa e incorporam a Feira Medieval, vestindo-se a rigor. Os pais, professores e auxiliares envolvem-se, também, na organização do evento, com a dinamização das tasquinhas, onde encontramos os apreciados comes e bebes”, reforçou Carlos Moreira, presidente da Junta de Moreira.

Para além desta envolvência da comunidade educativa, a Feira Medieval de Moreira conta com a presenta de vários artesãos e grupos de teatro e de animação diversa, que “contribuem para valorizar a iniciativa e acentuar a recriação medieval. Alguns destes grupos e artesãos contam com a experiência de participação em reputadas feiras medievais do país, como a de Santa Maria da Feira.

Não podemos deixar de acrescentar, algo que é muito apreciado pelos mais novos, que é o caso da exposição de aves de rapina e de animais domésticos muito característicos do viver medieval, como porcos, galinhas, patos, burros, cabras, ovelhas, entre outros”, recordou ainda o autarca.

Nesta conversa com o Primeira Mão, Carlos Moreira aproveitou para fazer um balanço “muito positivo da edição deste ano, que deixa na nossa memória dias repletos de magia, fantasia, alegria e aprendizagens, cativando a atenção de miúdos e graúdos”.