,

Pedrouços apresenta condições “ótimas” de qualidade de vida

Joaquim Araújo, presidente da Junta de Pedrouços, aborda nesta entrevista ao Primeira Mão as áreas a que o executivo dá mais atenção. Até ao final do mandato gostaria de ter em construção as novas piscinas e o quartel dos Bombeiros.

A Semana Cultural de Pedrouços realizou-se de 21 a 29 de julho, nos Jardins da Casa do Alto, tendo o presidente da Junta referido que a procura tem sido crescente, aumentando o número de visitantes a cada edição. Iniciativas variadas com grupos e associações reunidas, a par de muita animação com alguns cantores convidados e a constante presença de tasquinhas, foram motivos suficientes para que pela Semana Cultural passassem mais de 15 mil visitantes.

Joaquim Araújo diz que, de ano para ano, os visitantes são em maior número e já há pessoas que são fiéis ao evento, que já sabem que nas suas férias devem participar naquela festa de convívio. O espaço da Casa do Alto propicia esse ambiente comunitário e de convívio, pelo que as pessoas têm aderido com satisfação.

Esta é uma forma de as associações locais se autofinanciarem apresentando a venda dos seus produtos. O evento foi criado com esse duplo objetivo, explicou Joaquim Araújo, o de ajudar as coletividades a conseguirem verbas para as suas atividades durante o ano e, em simultâneo, unir a comunidade em momentos de convívio, dança, jogos, aliando ainda a vertente solidária e de saúde.

A Semana Cultural inclui uma caminhada solidária e uma Feira da Saúde, em que a população tem acesso a rastreios gratuitos. “Nos últimos anos, já tivemos casos de pessoas que detetaram problemas de saúde, graças a estes rastreios casuais, o que é muito importante para a prevenção de doenças variadas”, referiu o autarca.

Após 9 meses de gestão da Junta de Pedrouços há sempre problemas que persistem e que o presidente gostaria de resolver com mais celeridade, se bem que, lembrou, “há situações que não dependem de nós. A questão de arruamentos, melhoria de vias e de passeios, que considero ser necessário serem alvo de uma grande intervenção, mas para a qual teremos que ter o apoio da Câmara. Queria após este mandato deixar a freguesia impecável em termos de arruamentos, com passeios de qualidade e sem barreiras arquitetónicas”.

Pavilhão quase pronto

Mas já há motivos de satisfação, pois o “pavilhão gimnodesportivo está finalmente quase pronto. Há nove anos que estamos a lidar com este projeto, que já teve várias primeiras pedras. Devo agradecer muito ao presidente da Câmara, a cujo empenho se deve a obra, em que estão investidos 2 milhões de euros e que era uma necessidade há muito para a freguesia.

É uma obra que me deixa muito realizado, por ter sido feita nos meus mandatos. A conclusão deverá acontecer em setembro ou outubro, para dar resposta às necessidades das associações e coletividades”, afirmou Joaquim Araújo.

A área social é sempre um foco de atenção por parte do executivo, já que existe uma camada da população com algumas carências económicas e sociais. Assim, a Junta de Freguesia tem vindo a dar suporte ao desenvolvimento de ações de gabinetes como o Recriar, o GAIL, o GIP, porque é preciso “criar respostas sociais a quem procura a freguesia para viver, uma freguesia que tem muita procura por estar muito próxima dos grandes centros urbanos. Ascende a várias dezenas o número de famílias que é apoiado pelos técnicos destes gabinetes”.

A carência de habitação social também é grande, havendo uma necessidade de “cerca de 150 novas habitações, mas teremos que nos articular com a Câmara Municipal da Maia para procurar encontrar uma solução. O certo é que nesta altura não existem financiamentos disponíveis para construir novas casas”, explicou o presidente de Pedrouços.

Em termos gerais, Pedrouços proporciona “ótima qualidade de vida”, frisou Joaquim Araújo. A começar pela posição geográfica privilegiada, já que está encostada ao centro urbano do Porto, mesmo junto ao Hospital de S. João e a universidades. E, prossegue Joaquim Araújo, “apresenta ainda bons equipamentos e infraestruturas. A freguesia tem mais de 100 mil metros quadrados de jardins, 10 parques infantis, um quartel e corporação de bombeiros próprios, temos um agrupamento escolar, uma Unidade de Saúde Familiar, um estádio municipal com dois relvados sintéticos, algumas unidades hoteleiras, duas IPSS com centros de dia, já para não falar das unidades privadas que proporcionam um total de seis lares.

Agora temos vários ginásios ao ar livre, a Casa do Alto para atividade cultural e de lazer. São poucas as freguesias que apresentam estas condições. Pedrouços tem o sossego de aldeia e cariz rural, mas estamos a dois passos da cidade, por isso é que o mercado de arrendamento é escasso. A Junta de Freguesia procura dar condições e implementar uma dinâmica que proporcione também alguns bons momentos às pessoas”.

Acordo de competências

Neste mandato, a Câmara da Maia assinou com as Juntas um acordo de delegação de competências, embora Pedrouços não tenha sido uma das freguesias que teve aumento de transferência de verbas. Pedrouços recebe anualmente pouco menos de 70 mil euros, valor de há vários anos.

Joaquim Araújo explica que a freguesia não foi “beneficiada nem prejudicada, tendo em conta que nos foram retiradas algumas competências, como é o caso da conservação dos espaços escolares, pois a Câmara da Maia entendeu assumir essa área concedendo o serviço a uma empresa. Assim, ao retirarem esta competência, isso acaba por significar um aumento de verba, uma vez que não temos que afetar meios nem verbas às escolas. De qualquer forma mantemos a postura de proximidade com as escolas e estamos disponíveis para responder a alguma solicitação urgente”.

A construção das futuras piscinas é uma promessa do presidente da Câmara e que responde a um anseio do autarca de Pedrouços. É uma obra que Joaquim Araújo quer deixar também pronta neste mandato. As piscinas ficarão próximas do Pavilhão, assim como o novo quartel dos Bombeiros, para o qual a Câmara já adquiriu os terrenos, estando já em andamento o respetivo projeto. “Agora vou empenhar-me para que essas duas obras comecem a ser construídas ainda neste mandato, não podemos ser pobres a pedir”, afirmou o presidente da Junta.

Também a preencher este mandato estarão os acessos já projetados, isto é, dotar a freguesia de melhores acessos para o lado de Gondomar, do Porto e para o lado de Matosinhos, a S. Mamede. Algumas das intervenções estão inseridas na ARU – Área de Requalificação Urbana de Pedrouços/Águas Santas.

Esta ARU será muito benéfica para os proprietários, agora resta as pessoas “procurarem os apoios a que têm direito para investir e aproveitar esta oportunidade”. Em breve a Junta irá realizar algumas sessões de esclarecimento para sensibilizar a população e dar todas as informações necessárias.