,

Empresa maiata recebe 1,1 milhão de euros de fundos europeus para projeto inovador

A Comissão Europeia vai apoiar financeiramente 14 projetos europeus, para financiar atividades de inovação próximas do mercado. Três deles são portugueses, sendo um deles proposto por uma empresa da Maia. Trata-se da Sakthi Portugal, localizada em Vermoim, Cidade da Maia.

As empresas portuguesas Sakthi Portugal, VISIONWARE e RTP são as empresas portuguesas, cujos projetos vão receber 1,1, 2,4 e 2,2 milhões de euros, respetivamente.

O montante é atribuído no âmbito do instrumento FTI – Fast Track to Innovation, financiado pelo programa Horizonte 2020, tutelado pelo Comissário europeu Carlos Moedas.

Ao nível europeu, serão distribuídos um total de 34 milhões de euros em 14 projetos inovadores para financiar atividades de inovação próximas do mercado, contribuindo assim para o êxito de empresas europeias, em particular PME, na comercialização de novos produtos e serviços.

Os 14 projetos envolvem 59 parceiros, incluindo PME, parceiros industriais, universidades e organizações sem fins lucrativos, de 18 países.
Os projetos selecionados para financiamento em Portugal são: “Digimat”, “ENHANCEplayer” e “SCENE”.

Com a participação da Sakhti (Maia), o projeto “DigiMAT” desenvolve soluções inteligentes para materiais digitais na indústria automóvel (valor total do financiamento para o projeto: 1,1 milhões de euros).

O projeto “ENHANCEplayer” tem a participação da RTP e consiste numa ferramenta de inteligência artificial que melhora a qualidade do vídeo, enquanto o “SCENE” tem a coordenação de VISIONWARE e constitui uma plataforma móvel aberta para aplicativos de cidades inteligentes na área da segurança.
 

Sobre o Fast Track to Innovation

 
O esquema Fast Track to Innovation visa produtos, serviços, processos ou modelos de negócios radicalmente novos e inovadores que abrem novos mercados.

Oferece até 3 milhões de euros a consórcios compostos por três a cinco parceiros, incluindo PME, centros de investigação, industrias, universidades, organizações de clusters, associações industriais, incubadoras, investidores e o setor público.

O instrumento é para tecnologias, conceitos e modelos de negócios inovadores e relativamente maduros que estão próximos do mercado. As PME participantes também têm acesso a serviços gratuitos de coaching e aceleração de negócios.