,

Campeonato europeu decorre este mês na Maia

Será de 20 a 23 deste mês que a Maia receberá o XIX EGKF Championship, no Complexo Municipal de Ténis, com a presença de mais de uma dezena de países e cerca de 800 atletas europeus de Goju-Ryu.

A Câmara da Maia é parceira do evento, a par do CK Maia – Clube de Karaté da Maia, que apoiam o evento trazido para Portugal pela Liga Portuguesa de Karaté.

Joel Teixeira,vice presidente da LPK (Liga Portuguesa de Karaté), referiu ao Primeira Mão (PM) que esta é a maior prova de Karaté a nível europeu, sendo muito importante para os atletas nacionais, que têm maior oportunidade de participar.

Este campeonato realizou-se em Portugal há 15 anos, sendo agora a segunda vez que a LPK consegue trazer o evento para solo luso. Além da liga poder demonstrar a sua capacidade organizativa, é um grande desafio para os atletas portugueses poderem mais facilmente mostrar as suas competências, “pode ser a abertura de um porta”, referiu Joel Teixeira.

O vice presidente da LPK explicou a escolha da Maia com o facto de a cidade se ter tornado um exemplo a nível nacional em organizações de eventos ligados ao karaté. “Como o Open da Maia, por exemplo, é um dos grandes eventos a nível nacional, em que o CK Maia e a Câmara Municipal têm dado mostras da sua excelente organização”.

Por outro lado, existe uma localização geográfica estratégica, “a cidade está muito próxima do aeroporto, tem bons acessos e está muito perto da cidade do Porto, também em crescimento”, afirmou Joel Teixeira.

António Moreira, diretor do CK Maia, em declarações ao Primeira Mão, afirma que a expetativa para a Maia neste Campeonato Europeu é alta, justificando que “somos claramente um clube com mais títulos em Portugal. É óbvio que esta é uma prova diferente, não tem a ver com torneios particulares ou o Open internacional. De qualquer forma, estamos confiantes, porque no último campeonato do Mundo e da Europa tivemos resultados muito bons, com alguns campeões da Europa e do Mundo.”

Este XIX EGKF Championship envolve vários escalões, desde a formação até aos seniores e inclusive para olímpicos. “Esta é a segunda vez que vamos realizar campeonatos para deficientes e, portanto, será um evento com uma cobertura muito grande e estamos confiantes que esta vertente desportiva e social vai funcionar muito bem”, sublinhou António Moreira.

Em termos de oportunidades para os atletas, António Moreira está otimista, em particular para os da Maia, que estarão equiparados aos de maior nível de várias regiões do país, desde Lisboa à Madeira e Gaia. “Ao nível competitivo teremos alguns proeminentes, que transitaram do ano passado, do campeonato da Europa e do campeonato do Mundo, fazendo uma passagem até automática, temos o Nuno Moreira, o Pedro Carvalho e Petra Pinto, que foram campeões da Europa”, afirmou o diretor do CK Maia.

O evento é benéfico, considera António Moreira, também para a “economia do concelho e zona do Porto em geral”. A Maia acaba por se tornar pequena, em termos de estruturas hoteleiras, para receber o afluxo de pessoas que se esperam.