,

Roupa usada deve ser reciclada…para ajudar instituições da comunidade

Na Maia, os resíduos têxteis, depositados seletivamente nos roupões disponíveis no concelho, continuam a ser solidários. Este ano foram ajudadas nove instituições.

Em 2018, em resultado das 210 toneladas recolhidas destes resíduos, a iniciativa promovida pela Maiambiente e pela Wippytex (empresa responsável pela recolha destes resíduos) permitiu angariar 10.500 euros de verba, agora doados a nove instituições do concelho.

A cerimónia de entrega de donativos decorreu no passado dia 11 e foi presidida pelo presidente do Conselho de Administração da Maiambiente, Paulo Ramalho, pelo administrador da Wippytex, Pedro Oliver, pela vereadora do Ambiente e membro do Conselho de Administração da Maiambiente, Marta Peneda, e pelo presidente da Câmara Municipal da Maia, António da Silva Tiago.

Paulo Ramalho afirmou ser “um motivo de grande orgulho poder assumir esta função de responsabilidade social, que é já uma marca” da Maiambiente. Acrescentando, “gostávamos que estes projetos fossem um exemplo para outras empresas do nosso município, até com maior capacidade financeira, para que sejam capazes de assumir este papel e contribuir para o bem-estar da comunidade onde estão inseridas”.

O responsável pelo CA da Maiambiente sublinhou a importância das parcerias com vista à implementação destas ações, reforçando, “construímos um futuro em conjunto. Só trabalhando em rede construímos um futuro mais fácil para todos”.

Este donativo representa um valor simbólico, mas retrata o esforço da população e que é devolvido à comunidade através do apoio social prestado pelas instituições. O projeto está implementado há sete anos, tendo sido atribuídos 63.400€ neste período a 38 beneficiários identificados pelo município e ligadas ao setor social, não descurando a área cultural e do bem-estar animal.

“A Maia e a Maiambiente são uma referência nacional e internacional na área ambiental e da sustentabilidade. Com os diversos projetos, em que este se integra, temos feito um caminho de grande afirmação e de grande testemunho” afirmou com orgulho António da Silva Tiago. O presidente da Câmara da Maia congratula “a forma responsável e consciente que a população maiata demonstra para a problemática dos resíduos, apoiando e participando ativamente nestes projetos”.

De forma a oferecer as condições necessárias para que todos possam contribuir para o aumento da valorização destes resíduos, transformando-os em novos recursos e, simultaneamente, reduzindo a deposição em aterro ou incineração, encontram-se instalados no concelho da Maia 48 ‘Roupões’, contentores azuis claros e identificados para a deposição seletiva destes resíduos.

Na sua intervenção, o Administrador da Wippytex reforçou a importância de atendermos à problemática deste tipo de resíduos, mostrando preocupação quanto ao futuro. “Em 2000, foram produzidos 50 mil milhões de peças de vestuário, em 2015 passou para 100 mil milhões… o que irá acontecer em 2030?”

Na cerimónia marcaram ainda presença representantes das entidades beneficiaras deste apoio: Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação da Maia, Conferências Vicentinas – Conselho de Zona da Maia, Bombeiros Voluntários de Pedrouços, Grupo de Alcoólicos Tratados da Maia, Lar de Santo António, Raríssimas – Centro de Desenvolvimento e Reabilitação do Norte, A Criança Diferente –  Associação de Amigos, Banda de Música de Moreira e Amigos Picudos – Associação para a Preservação e Proteção dos Ouriços.