,

Pequenos Cantores da Maia surpreenderam com Concerto de Reis mais completo

O Concerto de Reis solidário que os Pequenos Cantores da Maia levaram a efeito na noite de 5 de janeiro, na Igreja Nossa Senhora da Maia, foi um momento em que a formação artística apresentou duas novidades performativas especiais, facto que surpreendeu o público.

O evento, organizado pela Comissão de Festas da Paróquia da Maia presidida por Nuno Raposo, teve como é já tradicional, um caráter inteiramente solidário, sendo realizada à entrada uma recolha de alimentos embalados, ação que ficou a cargo das Conferências Vicentinas da Paróquia.

O programa foi criteriosamente selecionado, considerando que o espaço onde se realizou era um templo religioso, facto que explica o alinhamento dos temas interpretados pelo coral.

De entre as várias obras executadas, contava-se “Adeste Fidelis” que teve a participação da violetista e pequena cantora Helena Brandão, um cântico hebraico muito antigo sobre a Paz, “Panis Angelicus” de César Franck, com solo de Flávia Pereira, e ainda “Canção de embalar”, em que foi solista Carolina Osório, tendo durante a canção um apontamento de dança contemporânea coreografado e dançado por Filipa Teixeira.

Foram momentos igualmente emocionantes a interpretação de “Sempre que olho pro alto”, excerto de “O corcunda de Notredamme” de Alan Menken, com solo de Ana Margarida Rouxinol e uma coreografia e dança assinada por Helena Brandão. Luísa Barbosa, Ana Beatriz Fernandes, Nicole Garcia e Matilde Quintas assinaram também interpretações solísticas muito ovacionadas pelo público.

António Silva Tiago, edil maiato e patrono dos Pequenos Cantores da Maia, na sua alocução proferida já no final do concerto solidário de Reis, referiu que as crianças do Coral Infantil Municipal da Maia têm sido verdadeiras vozes que cantam e encantam por todo o lado, representando a Maia de uma forma muito digna e que lhe merecem o maior apreço e carinho.

O anfitrião, Pároco de S. Miguel da Maia, Pe. Domingos Jorge, referiu-se aos Pequenos Cantores da Maia, como verdadeiros anjos que ali aqueceram os corações do corajoso público que, naquela noite fria, deixou o aconchego dos seus lares para os ir ouvir e ter um gesto solidário com os mais carenciados.

No final, os maestros Victor Dias e Ana Lídia Rouxinol convidaram o patrono António Silva Tiago, o vereador Paulo Ramalho, o Pároco Domingos Jorge e a presidente da Junta de Freguesia da Cidade da Maia, Olga Freire, para uma fotografia de família que José Tomé se encarregou de registar para o álbum histórico.