,

Comunicado do PSD/CDS defende todos os autarcas da coligação Maia em Primeiro

Os partidos que constituem a coligação Maia em Primeiro (PSD e CDS) emitiram um comunicado, hoje, para responderem ao que consideram ser “vários episódios jurídicos suscitados pelo partido JPP (Juntos Pelo Povo), que têm colocado, por más razões, o município da Maia nos destaques da imprensa regional e nacional”.

Maia em Primeiro, neste comunicado de cinco pontos, começa por repudiar “toda e qualquer jogada jurídica que, procurando disfarçar as enormes debilidades políticas do referido partido, prejudique o nome do nosso município, com o intuito exclusivo de difundir notícias populistas, com slogans rápidos e propícios ao julgamento precipitado pela opinião pública”.

No ponto 2, o PSD e CDS lamentam que o JPP queira, “pela segunda vez neste mandato, conquistar o poder executivo fazendo uso do poder judicial, contrariando os resultados das eleições e a vontade dos maiatos. Sublinhamos, com espanto, que este partido solicita ao tribunal a substituição dos órgãos legitimamente eleitos por uma comissão administrativa composta pelos eleitos deste partido”.

Neste contexto, as comissões políticas do PSD e do CDS, que assinam o comunicado, adiantam, no ponto 3, que irão continuar a desenvolver “uma atuação política positiva e que, todos os dias, promova o diálogo, o respeito e a evolução do nosso município”, seguindo a sua postura independentemente das ações “irresponsáveis de outros agentes políticos”.

E esclarece-se ainda quanto ao passado, que foi “rigorosamente desta forma que resolvemos as questões das dívidas fiscais da TecMaia, surgidas por força da obrigatoriedade de dissolução da empresa, cumprindo integralmente todos os preceitos legais e protegendo um património estratégico para o município, para a região e para o país.

Apesar de a dissolução da Tecmaia SA EM ter resultado de uma lei do anterior governo da nação com a qual nunca concordamos, soubemos manter a atividade do Parque de Ciência e Tecnologia da Maia, estando agora focados na sua expansão, através de novos investimentos geradores de postos de trabalho qualificados para os nossos jovens, prestigiando a marca e garantindo uma saída limpa deste processo de dissolução”.

No ponto 4, o comunicado refere que a coligação acredita na “Justiça, um dos pilares fundamentais do estado democrático, e entendemos que qualquer cidadão ou organização tem o direito de a ela recorrer sempre que entenda. Por isto, deixaremos que a Justiça faça o seu trabalho e cá estaremos para avaliar as suas decisões”.

Por fim, e tendo em conta o pedido de perda de mandato feito pelo JPP pela via judicial, Maia em Primeiro reitera “a total confiança política em todos os autarcas do CDS e do PSD que compõem a coligação “Maia Em Primeiro”, destacando o Presidente da Câmara e o Presidente da Assembleia Municipal. São homens e mulheres que aceitaram o desafio de servir o seu município, que não se vergam perante campanhas difamatórias que violam e desrespeitam a necessária convivência política e democrática”.