,

Balanço do SUPERTABi na IV Cimeira da Educação da Maia

O projeto SUPERTABi e os seus resultados até ao momento foram levados à IV Cimeira da Educação, organizada pela Câmara Municipal da Maia, no passado dia 5, na Escola Secundária da Maia.

Este espaço de reflexão conjunta reuniu diretores de agrupamentos de escolas, coordenadores de estabelecimentos de ensino, associações de pais e autarcas.

De acordo com a vereadora da Educação, Emília Santos, “estas cimeiras são espaços de reflexão, mas a IV edição foi, sobretudo, uma partilha de boas práticas que elevam a educação na Maia como uma referência no panorama nacional”.

O município e os Agrupamentos Escolares apresentaram projetos em curso que contribuem para erigir essa bandeira. “São projetos como o SUPERTABi Maia, que elege a inovação pedagógica mediada por tecnologia, que contribuem para que a Maia continue a ser um caso de sucesso educativo”, refere a vereadora da Educação.

O Prof. Marco Bento, mentor do SUPERTABi Maia, fez o balanço do projeto promovido pelos Agrupamentos Escolares, com o apoio da Câmara Municipal da Maia e das Associações de Pais.

O SUPERTABi está em curso em sete escolas piloto, constituindo sete ambientes educativos inovadores do concelho: 7 professores estão a desenvolver o projeto e estão mais onze a ser preparados para o mesmo efeito.

No final de janeiro, refere Marco Bento, começam a notar-se nas práticas pedagógicas “algumas alterações com significado, nomeadamente, aprendizagem invertida”. Isto é, “um primeiro contacto com os conteúdos pelos alunos, que depois fazem um contacto exploratório através do vídeo… trabalho colaborativo entre pares na discussão de assuntos e apresentação de produtos”.

Um métodos que implica “flexibilização do currículo”. Para o investigador pedagógico “são tudo pequenos passos numa caminhada que se iniciou há pouco tempo para uma grande maioria dos professores, em que há sempre um caminho a percorrer, e ainda bem, porque é a utopia que nos desafia a caminhar… neste caso a voar! A Educação faz-se quando todos estão juntos no apoio e suporte, esta é a comunidade educativa maiata”, refere Marco Bento.