,

Maia dinamiza cooperação com a Rússia

No passado dia 21, os Paços do Concelho da Maia foram palco de uma conferência, em que foram colocados em evidência os contactos com a Rússia, sobre o tema “240 anos de Relações Diplomáticas entre Portugal e a Rússia”.

A iniciativa, que contou com intervenções de António Couto dos Santos, Cônsul honorário da Rússia, Rui Morais, professor e investigador da faculdade de ciências da Universidade do Porto, e Vladimir Luzgin da Agencia Federal de Cooperação Internacional Cultural da Federação da Rússia, foi moderada pelo vereador Paulo Ramalho.

Coube a Couto dos Santos a descrição histórica dos principais momentos que marcaram as relações diplomáticas entre Portugal e a Rússia, que se iniciaram em 1779, respetivamente nos reinados de D. Maria I de Portugal e Catarina II da Rússia, interrompidas entretanto em 1917, por altura da revolução bolchevique, e apenas reatadas depois do 25 de Abril de 1974, ou seja, após a queda da ditadura em Portugal.

Couto dos Santos sublinhou ainda, para além do grande legado cultural, o enorme potencial do mercado económico da Rússia, que pela sua dimensão, sempre poderia constituir uma oportunidade de destino das exportações portuguesas, mostrando-se particularmente crítico das sanções impostas pela União Europeia.

“É inadmissível que a Alemanha possa exportar para a Rússia a sua produção automóvel e, em contrapartida, Portugal esteja impedido de exportar pera rocha”, referiu o orador.

O representante da Embaixada da Rússia, Vladimir Luzgin, lembrou as diversas ações de cooperação desenvolvidas nos últimos anos entre Portugal e a Rússia, designadamente nos domínios da cultura e da educação, destacando as levadas a efeito com a Maia.

O Professor Rui Moura recordou os importantes contributos que a indústria aeroespacial Russa tem prestado à descoberta do “cosmos”, destacando a participação no projeto da “Estação Espacial MIR”, mais tarde “Estação Internacional Espacial”, e que tem assegurado uma convivência cooperante entre cosmonautas russos e astronautas americanos, lembrando ainda que “a palavra russa “MIR” significa precisamente paz”.

Por último, o Vereador das Relações Internacionais, Paulo Ramalho, referiu que “a realização desta conferência insere-se nas relações de cooperação existentes entre a Câmara da Maia e a Embaixada da Federação Russa, e que desde 2016 permitiram a instalação na Maia da “Escola de Sábado”, dirigida à comunidade russa da região, a celebração do dia da Rússia na Maia, com a presença do Embaixador Oleg Belous, a “Ponte Cósmica entre Maia e Moscovo”, que permitiu um diálogo entre alunos da escola secundária da Maia e de Moscovo, instalados no Museu da Cosmonáutica, através de videoconferência, e mais recentemente, a realização na galeria da Torre do Lidador de uma exposição fotográfica sob o tema “Moscow XXI”.

Paulo Ramalho destacou ainda a importância destas iniciativas no sentido de “estreitar as relações entre os dois países, promovendo o conhecimento e a reflexão da sua história, dos seus povos e das suas potencialidades, por forma a contribuir para uma sociedade mais esclarecida e livre, e ao mesmo tempo, mais atenta às dinâmicas da realidade internacional”.

Paulo Ramalho sublinhou também a importância das relações diplomáticas para “a afirmação de caminhos de amizade, de cooperação e acima de tudo, de paz”.