, ,

Maia é candidata às “7 Maravilhas Doces da Gastronomia”

A Maia vai ter uma sobremesa candidata às 7 Maravilhas Doces da Gastronomia na categoria Doce de Território.

A Real Confraria Gastronómica das Cebolas é responsável pela apresentação da candidatura do Toucinho do Céu à Maiata.

Um doce que já foi devidamente testado em colaboração com os cursos de formação de cozinha e pastelaria da Secundária do Castelo da Maia, como explicou Ricardo Cruz ao jornal Primeira Mão.

O Toucinho do Céu à Maiata é um tesouro do passado inexplorado e que a Confraria pretende que esteja presente às mesas dos restaurantes do concelho a breve prazo. A candidatura às 7 Maravilhas Doces da Gastronomia poderá ser a alavanca para que isso aconteça.

Ricardo Cruz esclarece que este é já um fruto da parceria da Confraria das Cebolas, do Agrupamento de Escolas do Castelo da Maia e do Turismo da Maia no trabalho de criação de pratos identificadores da Maia na promoção de produtos endógenos e da região.

Estão em estudo e teste várias receitas, como o Cabrito à Maiata, por exemplo, no sentido de que “se crie uma mais-valia na restauração para que os profissionais possam inserir os pratos nos seus menus, de forma a que as pessoas saibam que é normal que quem vier à Maia encontre estes pratos próprios da terra, receitas típicas, que só encontrarão aqui e em mais lado nenhum”, apontou Ricardo Cruz.


Este Toucinho do Céu à Maiata, sobremesa criada para representar a Maia, vai apresentar-se pela primeira vez nas “7 Maravilhas de Portugal”, um projeto que desde 2007, pretende promover os grandes valores da identidade nacional.

Haverá diversas fases de apuramento até chegar à final, em setembro, com transmissão pela televisão.

Concurso de Gastronomia no Castelo da Maia é dias 10 e 11 de abril

A Confraria promoverá também nos próximos dias 10 e 11 de abril o habitual Concurso de Gastronomia destinado a estudantes das áreas de Pastelaria e Culinária, a nível internacional. Trata-se de mais um certame em parceria com o Agrupamento de Escolas do Castelo da Maia, já na quarta edição.

O objetivo consiste, como é habitual, em “trabalhar a cebola, não de uma forma imediata ou visível, não quer dizer que o concorrente vá fazer apenas cebolada, mas antes a cebola com um papel diferente, original e até subtil.

E a experiência nesse aspeto tem sido fantástica quanto à resposta que temos tido, pois a criatividade tem sido fantástica e até sobremesas têm sido feitas utilizando a cebola”, referiu o responsável pela Confraria das Cebolas e também elemento do júri do Concurso de Gastronomia.

Para Ricardo Cruz tem sido “emocionante” verificar como o concurso tem evoluído e a criatividade que tem gerado em termos de receitas em torno da cebola.