,

“Todos somos responsáveis por todos”


A Maia recebeu a boa notícia de que viu uma candidatura aprovada no âmbito do programa europeu Horizonte 2020.

Trata-se de uma candidatura conjunta e que visa bons resultados no que respeita à sustentabilidade energética, como anunciou o presidente da Câmara Silva Tiago, em declarações na abertura da Conferência sobre Alterações Climáticas que decorreu no salão Nobre dos Paços do Concelho: “Tivemos conhecimento da aprovação de uma candidatura que fizemos com outras cidades europeias ao Horizonte 2020. São municípios da Europa, a Maia é o único município de Portugal que concorreu em pareceria com essas outras cidades europeias, de países cujo o desenvolvimento é bem notório, como a Finlândia, Países Nórdicos, fundamentalmente da europa central”. 

Segundo afirmou o Edil, o objetivo é conseguir alcançar um balanço positivoem termos energéticos em três sítios que a Câmara Municipal escolheu. Os 3 locais escolhidos para integrar a candidatura agora aprovada são os paços do concelho da Maia, o Parque Tecnológico TECMAIA e o Bairro Social do Sobreiro.

A estratégia da Câmara Municipal da Maia “para a adaptação às alterações climáticas, preconiza o envolvimento comprometido de todos, para aumentar a capacidade de resposta aos impactos das alterações do clima, ao nível local, garantindo a sustentabilidade e a resiliência do território frisou o autarca.

Falando a uma audiência maioritariamente constituída por jovens, Silva Tiago sublinhou que: “A elaboração da Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas da Maia surge, assim, da clara vontade de decidimos abraçar juntos, o desafio de minimizar as incertezas e antecipar respostas, tão eficazes quanto possível, para arrostar com fenómenos e ocorrências imprevisíveis. Uma imprevisibilidade que se traduzirá sempre, quer na sua dimensão e momento de ocorrência, como nas suas eventuais consequências, numa incerteza que requer atenção, capacidade de mobilização e permanente prontidão, para cuidar da proteção civil de pessoas e bens”.

A conferência contou com a presença de Aline Guerreiro da Quercus, para assumir o papel de moderadora do painel sobre alterações climáticas, que teve como oradores Pedro Macedo que defendeu “a importância da educação para a sustentabilidade”, Cristina Calheiros que ali foi falar sobre “a utilização de ‘nature based solutions’ para a adaptação das alterações climáticas e apoio à gestão do ciclo da água”, Beatriz Castiglione focando “o contributo dos telhados verdes na mitigação das alterações climáticas”, e por fim Paula Castro numa abordagem à “aplicação da biotecnologia para a recuperação de áreas degradadas”.

O encerramento da conferência ficou a cargo da Vereadora do Pelouro do Ambiente da Câmara Municipal da Maia Marta Peneda.

Na mente de muitos conferencistas presentes ficou a ressoar um pensamento do Presidente da Câmara: “no meu espírito faz cada vez mais sentido… a ideia que acalento de que todos somos responsáveis por todos e todos somos atores, com um papel a desempenhar neste cenário global das alterações climáticas…”