,

Processo Participativo tem sido “inovador e estimulante”

A oitava sessão do processo participativo de diagnóstico para a revisão do PDM– Plano Diretor Municipal da Maia realizou-se esta quinta-feira, dia 23, em Pedrouços.

A equipa de especialistas da Universidade de Aveiro é liderada pelo Professor José Carlos Mota, que tem vindo a desafiar os cidadãos maiatos, em cada uma das oito freguesias já percorridas, a partilharem nestas reuniões de trabalho, memórias nas mais diversas formas, desde fotografias, documentos ou a simples memória descritiva de cada um.

Ainda falta percorrer nesta fase de diagnóstica da revisão do PDM mais duas freguesias, Vila Nova da Telha e S. Pedro Fins, mas José Carlos Mota está muito satisfeito com a grande participação que tem acontecido até ao momento.

“O processo de revisão do PDM na Maia está a ser particularmente inovador e estimulante. De facto, os fregueses de cada uma das freguesias têm vindo a partilhar nas reuniões aquelas que são as suas memórias coletivas das vivências no território, para que possam ajudar a inspirar propostas para o futuro da Maia e, sobretudo, para enquadrar no âmbito da revisão do Plano Diretor Municipal”, explicou José Carlos Mota em entrevista ao Maia Primeira Mão.

Depois da fase de diagnóstico no Processo Participativo do PDM, seguem-se duas novas rondas pelas freguesias das fases: propostas dos cidadãos e apresentação da proposta final do PDM.

O processo tem que estar concluído em junho do próximo ano.