,

Trabalhadores da Conservatória em protesto

Houve protesto na manhã de 28 de maio dos trabalhadores da Conservatória da Maia. Queixam-se da ausência de privacidade no atendimento dos cidadãos e da falta de uma sala de espera.

Os funcionários querem a presença policial em permanência e acusam o Instituto de Registos e Notariado de falta de respostas.

Por estes motivos, os funcionários fizeram uma vigília de uma hora antes da abertura das instalações. Já havia uma fila de espera, mas os trabalhadores quiseram cumprir o protesto para mostrar que “não estava tudo bem”.

Nos cartazes empunhados viam-se queixas como «computadores e impressoras velhos, degradados e a funcionar muito mal» ou ainda «Indignação – 1 Representação do IRN, Ip, ncomposta por: Vice-Presidente, arquiteto e 1 Conservadora c/ Tacho; visita Conservatória da Maia e não cumprimenta trabalhadores; 1 Vergonha, 1 Falta de respeito e consideração que não aceitamos».

E também um cartaz que denunciava: «Ar condicionado central em perigo iminente de legionella, por falta de manutenção». E outro que dizia: «sala de espera incomportável e sem privacidade».

De acordo com alguns dos funcionários que protestaram, não existe qualquer privacidade no atendimento, o que origina que não exista também qualquer proteção de dados utentes, uma vez que “estamos a conversar com um utente e ao lado está outro colega a atender outro, pelo que as conversas são ouvidas por quem está ao lado”.

Um dos funcionários referiu ainda à RTP que a falta de uma sala de espera em condições e de elementos que garantam a segurança tem levado a situações de “insultos e tentativas de agressões e muita dificuldade me manter a calma e serenidade no serviço”.

Henrique Guimarães, do Sindicato dos Trabalhadores de Registos e Notariado, refere que “os trabalhadores não se dão bem com o silêncio”, que é o que têm recebido por parte do IRN (Instituto dos Registos e Notariado) e tutela. Assim, o sindicalista adianta que “esta luta vai continuar” até que haja uma resposta para este problema da Conservatória da Maia.