,

Jovens maiatos debateram a lusofonia

A Junta de Freguesia da Cidade da Maia recebeu no dia 23 de maio, uma iniciativa denominada “Debater a Lusofonia”, em que os oradores convidados foram Sandra Freitas, empresária, e José Ribeiro e Castro, político. 

O evento teve a coparticipação da turma 9º A, do Agrupamento de Escolas Gonçalo Mendes da Maia, que ajudou a enriquecer o debate com a visão dos mais jovens, no qual se destacaram os alunos Beatriz Neves e Rodrigo Rodrigues. 

No início da sessão, os alunos expuseram as suas leituras sobre a temática abordada. Núria Carneiro e Beatriz Neves aludiram à língua portuguesa nas áreas da literatura, desporto, moda e gastronomia; Carla Moreira, Hamihany Martins e Sofia Matos sensibilizaram o auditório para a cultura, desporto e gastronomia angolanas e Mateus Figueiredo destacou a literatura, a simbologia da bandeira e o desporto brasileiros, terminando a sua intervenção com o Hino Nacional do Brasil. 

A intervenção de José Ribeiro e Castro centrou-se na necessidade do fortalecimento das relações entre os povos de língua irmã, captando a atenção do público desde o primeiro momento. Deixou como mensagem a ideia de que devemos crescer com os países lusófonos, como se a «nossa mátria fosse a crença do sucesso».  

Por sua vez, Sandra Freitas aludiu à premência da cooperação entre os países lusófonos, por exemplo, na área da cultura. Reiterou a necessidade de harmonia e de um profícuo entrelaçar de relações. 

No final da sessão, o diretor do Agrupamento de Escolas Gonçalo Mendes da Maia, Benjamim Sousa, destacou a expressão da Lusofonia no Agrupamento: 2 500 alunos de um vasto leque de nacionalidades, de entre as quais se destacam, por serem as mais representativas, a brasileira, a angolana e a guineense (Guiné-Bissau), para além, naturalmente, da portuguesa. 

No encerramento da sessão, os alunos Gustavo Caçador e Samuel Oliveira agradeceram a oportunidade que lhes foi dada, para refletirem sobre uma temática, ao mesmo tempo, tão envolvente e tão inclusiva. 

Os alunos Beatriz Caetano e Gustavo Caçador responsabilizaram-se, quer pela exposição dos livros de autores lusófonos, cedidos pela Biblioteca Municipal da Maia, quer pela divulgação do jornal As Artes Entre as Letras, que este ano comemorou 10 anos de existência e define, no seu estatuto editorial, «Lusofonia como mátria agregadora e inclusiva».  

A professora Eunice Neves, pela organização, deixou um agradecimento final à professora Palmira Moura, relevando a mensagem de incentivo na prossecução de atividades culturais, que transmitiu aos participantes, bem como a colaboração da professora Cacilda Moreira, responsável pelo acompanhamento da turma 9º D. 

Em nome da organização, a professora Eunice Neves mostrou-se ainda grata à Junta de Freguesia da Cidade da Maia pela “cedência de instalações” tornando possível a organização deste debate.