,

Jafetos homenageou vereadora da Juventude Marta Peneda

A Associação de Jovens Voluntários da Maia – Jafetos entrou, no dia 1 de junho, numa nova fase, com a tomada de posse da Direção para o próximo triénio, de novo liderada por Paula Sá. A cerimónia que decorreu no Fórum Jovem da Maia incluiu diversas distinções a voluntários e a homenagem à vereadora da Juventude da Câmara da Maia, Marta Peneda.

Paula Sá referiu que Marta Peneda “é nossa sócia honorária e gosto muito de reconhecer estas situações, sou muito agradecida pelo apoio que sempre nos tem dado para desenvolvermos a nossa atividade”.

Na cerimónia de tomada de posse foram ainda distinguidos os voluntários. Foi ainda atribuído o prémio do concurso de escrita criativa e entregues os diplomas aos alunos que frequentam a Sala de Apoio ao Estudo e ainda os diplomas de Esforço e de Mérito Escolar. Estes últimos foram atribuídos a Rafael Teixeira e Rita Moreira, respetivamente.

A propósito da homenagem de que foi alvo, Marta Peneda assumiu como “um enorme privilégio”, acima de tudo por estes jovens da Jafetos desenvolverem o seu trabalho de “forma altruísta e abnegada, sempre movidos por princípios e valores superiores nos quais o município da Maia se revê e pelos quais devemos pugnar sempre. Muito mais importante do que a distinção que me fizeram, ao conferir-me o título de Sócia Honorária, foi a homenagem que vi prestarem a todos os jovens presentes, verdadeiros obreiros da Jafetos”.

Faz falta uma carrinha de transporte de crianças

A equipa da direção que tomou posse é praticamente a mesma, com pequenas alterações, mantendo-se o núcleo duro da fundação desta associação há três anos. No ato eleitoral participou uma segunda lista, com novas ideias, que de resto, Paula Sá pretende considerar neste mandato, como referiu em entrevista ao Maia Primeira Mão.

A Sala de Apoio ao Estudo tem sido o foco central e vai continuar a ser da atividade da associação. Paula Sá adianta ainda outras situações a que a Jafetos terá que dar resposta neste mandato. Uma delas é a compra de uma carrinha de transporte das crianças, com pelo menos nove lugares. “Seja através de mecenato social, seja de subsídio que a Câmara nos possa conceder, é uma questão fundamental a que nos propomos nos próximos tempos para bem dos alunos que apoiamos. Ou seja, pretendemos dar-lhes igualdade de acesso à escola. Uma das coisas que nos falha é esse transporte do Fórum Jovem para a escola, principalmente no inverno. Pois quando vão molhados para as aulas, nunca estarão na mesma circunstância de outros colegas cujos pais os podem levar de carro, por exemplo”, afirmou Paula Sá.

Estes jovens merecem reconhecimento públicos

Outra área fundamental “é o reconhecimento público dos voluntários da Jafetos”, considera a presidente da associação, algo que adianta que vai “exigir à Câmara Municipal, porque estes jovens são maiatos e eu tenho aquela máxima de que o que é da Maia é bom. Por isso, esse reconhecimento deve ser feito, porque eles merecem. São alunos universitários, alguns trabalhadores-estudantes e, mesmo assim, arranjam tempo para dar apoio ao estudo e ajudar noutras campanhas. O voluntariado conta muito, hoje em dia, para o mercado de trabalho”.

Questionada sobre o papel da Jafetos no Compromissum de Voluntariado na Maia, uma espécie de banco de voluntários do concelho, Paula Sá abre as portas por completo desta associação, referindo que sendo uma coletividade que reúne voluntários só terá a beneficiar em estar inserida no projeto. Como é algo que está a dar os primeiros passos, aguarda pelo seu funcionamento, até porque a própria Jafetos necessita de mais voluntários. “Os nossos jovens voluntários já estão sobrecarregados e não é isso que pretendemos”, afirmou Paula Sá.

A Jafetos tem feito alguma diferença na comunidade maiata? Esta fundadora da Jafetos está convicta que sim. Mas a procissão ainda vai no adro.

Paula Sá considera que, para complementar a ação que tem sido desenvolvida com a Sala de Apoio ao Estudo, deverá agora ser implementada uma espécie de formação dirigida aos pais, no sentido de “dar competências no âmbito da parentalidade”. Desta forma, tentar-se-á alguma mudança na “atitude dos filhos na escola” para que toda a família encare “a educação como uma ferramenta para melhor encarar a vida futura e o mercado de trabalho, em vez de a verem como obrigação”.

De resto, a Jafetos continua a estabelecer parcerias, adiantando Paula Sá, que será desenvolvida uma no Bairro do Sobreiro, através de um espaço cedido pela autarquia, em que será promovido atividade para jovens e idosos, como “torneio de sueca, sessões de leitura de livros e jornais a idosos, conversas intergeracionais”.