PSD, PS e CDS na feira da Maia

Aproveitando a feira semanal da Maia, que se realiza ao sábado de manhã, os partidos políticos candidatos às autárquicas do domingo começaram o quinto dia de campanha eleitoral precisamente a contactar com os comerciantes e os clientes. O PSD chegou mais cedo e quando o PS e o CDS chegaram já o primeiro estava de saída.

O primeiro partido a chegar ao recinto da feira foi o PSD. O cabeça-de-lista, Bragança Fernandes, vinha acompanhado do primeiro candidato à Assembleia Municipal da Maia, Luciano Gomes, candidatos à câmara e à assembleia municipal e um grande contingente de elementos da JSD.

De bandeiras na mão, umas com o símbolo do PSD, outras com o slogan da campanha na Maia, foram cumprimentando aqueles por quem passavam. Foram também distribuindo canetas, isqueiros, t-shirts, porta-chaves e jornais de campanha. Bragança Fernandes foi também ouvindo alguns pedidos, entre eles, uma vendedora pedia ao autarca para ir ver a sua casa porque tem problemas de infiltrações.

Terminada a visita ‘laranja’, já se ouviam ao longe os bombos da comitiva socialista. Entretanto, começaram também a chegar os elementos do CDS, com visita à feira marcada para a mesma hora. Socialistas e populares ainda se cruzaram cá fora, cumprimentaram-se e quase se confundiam nas cores, uma vez que o grupo de bombos trajava de amarelo e o PS na Maia adoptou o azul, cores que identificam o Partido de Popular.

A comitiva do PS era liderada pelo cabeça-de-lista à Câmara da Maia, Mário Gouveia, e pelo primeiro candidato à Assembleia Municipal, Luís Rothes, mas integrava outros elementos das listas autárquicas aos diferentes órgãos, bem como elementos da JS. Também entre os socialistas não faltaram as bandeiras e para oferecer tinham canetas, o manifesto eleitoral e sacos para as senhoras irem às compras.

A habitação foi também um tema abordado junto dos socialistas. Um dos comerciantes abordou Mário Gouveia no sentido de lhe pedir uma “casinha”. O candidato socialista apenas referiu que irá estudar o assunto, se ganhar as eleições.

Mas pequena era a comitiva popular. O cabeça-de-lista à Câmara Municipal da Maia, Álvaro Braga Júnior, também se foi abeirando de vendedores e compradores, deixando o seu manifesto eleitoral. Consigo estava o primeiro candidato à Assembleia Municipal, David Tavares e elementos da Juventude Popular da Maia.

Isabel Fernandes Moreira