Deputados do PSD exigem respostas do Governo sobre a Variante à EN 14

Os deputados do PSD querem que o Governo os esclareça sobre o projecto previsto e inscrito no Plano Estratégico de Transportes e Infraestruturas Horizonte 2014 – 2020, em concreto o que diz respeito à Estrada Nacional 14 e ao ponto final na desejada construção da Variante.

Numa pergunta destinada ao Secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, entregue na Assembleia da República, os deputados do PSD do círculo do Porto garantem que não desistem da construção da Variante à EN 14, entre os concelhos de Vila Nova de Famalicão, Trofa e Maia.

Emilia Santos

O presidente da distrital do PSD Porto, deputado Virgílio Macedo e os deputados Emília Santos, da Maia, e Jorge Paulo Oliveira dirigiram-se ao Governo defendendo a construção de uma via alternativa à EN 14 como a única solução para o sobrecarregado trânsito rodoviário, factor impeditivo da normal circulação de pessoas e sobretudo de mercadorias, que dificulta o funcionamento das muitas e fortes unidades industriais servidas por esta artéria central do Norte do País.

No documento entregue no Parlamento, os deputados recordam que a construção dessa via alternativa sempre foi justamente encarada como um “investimento estratégico na melhoria das acessibilidades da AMP e nos concelhos a norte, designadamente Vila Nova de Famalicão, sobretudo no que concerne ao tráfego de mercadorias para todo o contingente empresarial formado pelo eixo referido” onde se encontram as “Zonas Empresariais Maia I, Maia II, Zona Empresarial de Santa Maria de Avioso, no concelho da Maia, e inúmeras e fortes unidades industriais servidas pela EN 14, tal como a Continental Mabor, a Salsa, Tifosi, Frezite, entre outras”.

Os deputados salientam também que só através de um projeto deste tipo se poderão estabelecer liações diretas à rede europeia, respeitando o subcritério “Enquadramento na Politica de Transportes Componente Europeia, onde as contagens de tráfego, registam “25.000 veículos/dia na Maia e 17.000 veículos/dia em V.N. de Famalicão”, sendo que a Variante à N14 um troço que atravessa três Concelhos com altíssimo valor em matéria de exportações/importações, em que Famalicão assume o primeiro lugar e a Maia o terceiro.

Os deputados recordam que houve diversos desenhos para o traçado e que o último obteve a Declaração de Impacto Ambiental. Os deputados querem esta solução, embora admitem, que o projecto base, que está concluído e aprovado desde o final de 2011, tenha “forçosamente de ser rectificado por forma a obter-se uma redução do seu custo, atento a situação de graves dificuldades que o país atravessa”.

O Plano Estratégico de Transportes e Infraestruturas apresentado recentemente continua a não prever a construção de uma alternativa à EN14, mas apenas uma intervenção na via actual.