Polícia Municipal com novas ciclopatrulhas

Resultado das medidas implementadas no contexto da Semana da Mobilidade é o novo patrulhamento de bicicleta na Polícia Municipal.

No dia 22, dia europeu sem carros, a autarquia realizou ações de sensibilização para o uso da bicicleta, que se centraram na Praça Dr. José Vieira de Carvalho. Na ocasião, foram apresentadas as patrulhas de bicicleta da Polícia Municipal, que passaram a dispor de seis bicicletas para um policiamento de maior proximidade no centro da cidade.

Romana Abreu Torres, comandante da Polícia Municipal da Maia, especificou que, “todos os dias no período da tarde, passa a haver a presença da Polícia Municipal com as suas equipas de ciclopatrulha, em que a sua incidência será nas zonas residenciais do centro da cidade, Novo Rumo, Maninhos e Altos, bem como no Eco Caminho, aproveitando também o parque do Novo Rumo, garantindo assim a sua presença e segurança às populações, podendo chegar a espaços que não são acessíveis ao carro patrulha, e onde fazer um patrulhamento apeado não se torna aconselhável dadas as distâncias a percorrer”.

Um corpo de oito agentes da PM tem seis bicicletas, conjunto de meios que torna possível a permanência de três equipas de patrulha em funcionamento no período da tarde.

O novo patrulhamento contempla a vantagem ainda de possibilitar aos agentes “percorrerem a cidade de forma mais rápida, com mais eficácia, conseguindo-se assim alargar o âmbito da Polícia Municipal”, afirmou a responsável pela polícia do município que até agora cingia-se, em termos de policiamento apeado, a percorrer as ruas próximas da Câmara Municipal e do centro da cidade.

Romana Abreu Torres esclareceu que havia alguma dificuldade de resposta com a rapidez necessária nalgumas situações em que a PM era chamada por telefone e que, por exemplo, “implicava percorrer uma distância a pé pelos agentes e nalguns casos o carro patrulha não chegava a esse ponto”.

Assim, com as ciclopatrulhas “a resposta torna-se mais rápida”, frisou Romana Abreu Torres, “e garantimos uma presença mais próxima do cidadão e vamos garantir essa influência em áreas que acontecia o patrulhamento apeado tradicional, mas não com tanta regularidade como é desejável”.

A sensação de segurança que é transmitida aos cidadãos é fundamental, de acordo com esta responsável municipal, que acrescenta: “o facto de sermos vistos com mais regularidade dá a entender às pessoas que facilmente se podem dirigir às patrulhas e que podem contar com a Polícia Municipal em favor da comunidade”.

Angélica Santos