Aluimento na A41 deveu-se a colapso de estrutura metálica

Aluimento na A41

O aluimento de pavimento na A41 entre a Maia e Alfena, ocorrida em fevereiro passado, deveu-se ao colapso da estrutura metálica que constitui a passagem hidráulica instalada sob a autoestrada.

“As causas exatas desse colapso e a eventual responsabilidade da concessionária serão ainda avaliadas. O procedimento de avaliação de um eventual incumprimento das obrigações contratuais da concessionária está em curso”. Foi esta a resposta fornecida pelo Ministério do Planeamento e das Infraestruturas aos deputados do PCP, Ana Virgínia Pereira, Diana Ferreira e Jorge Machado.

Os três deputados tinham perguntado ao Governo que medidas tomou para resolver a situação, se equacionava suspender o pagamento de portagens naquele lanço, que estudos desenvolveu para avaliar o risco de aluimento se verificar noutras zonas da mesma via e qual o risco do mesmo ocorrer noutras autoestradas.

Oito meses depois

A resposta chegou mais de oito meses depois das perguntas, numa altura em que via regressou à normalidade, após mais de dois meses de obras. O Governo faz saber foram notificadas todas as concessionárias rodoviárias para prestar informação circunstanciada sobre as passagens hidráulicas daquele tipo integradas, informando sobre o estado de manutenção e conservação respetivo e se estão previstas quaisquer intervenções a curto ou médio prazo, por forma a ser possível avaliar a eventual necessidade de antecipação destas intervenções.