,

Críticas internas no PS sobem de tom e chegam à Assembleia Municipal

As críticas internas no Partido Socialista sobem de tom, com António Teixeira, deputado na Assembleia Municipal eleito pelo PS, a aproveitar a última sessão deste órgão para tecer duras críticas à liderança do partido e ao candidato à Câmara escolhido, “um tal de Francisco”, como se referiu a Francisco Vieira de Carvalho.

António Teixeira criticou o PS, numa intervenção no período antes da ordem do dia, por entender que não é o partido que concorre às próximas Autárquicas e que a estrutura partidária se está a esconder atrás do candidato, que “é um tal de Francisco, misturado com Lúcias e Jacintas, e com o PS a servir de capelinha das aparições, onde se abrigam ressabiados, pecadores de toda a natureza, sobretudo do PSD”.

Sobre a independência do candidato, afirmou que “foram importar da Madeira um partido de ultra direita neo fascista, à espera do milagre do Sol”, só para justificar uma “pseudo independência”.

Assim, António Teixeira, que desde a sessão da assembleia de dezembro pediu o estatuto de deputado independente, promete lutar contra este PS “transformado numa loja de eletrodomésticos, vandalizada e pilhada por gente sem escrúpulos, sem carácter, sem dignidade. Um autêntico bando de pilha galinhas”.

O deputado aproveitou para chamar para a sua luta todos os eleitos na Assembleia Municipal pelo PS contra “esta traição”: “exorto-vos, camaradas, a que exijam uma candidatura do partido sem subterfúgios ou
mentiras, não cedam a vossa dignidade e respeito que vos merece a força política que representam por uma simples senha de presença seja em que órgão for”.

Angélica Santos