, ,

Emília Santos exalta “a nobre causa SOCIAL” a propósito do Dia Internacional da Mulher

Emília Santos

Neste dia da Mulher, a deputada Emília Santos, da bancada parlamentar do PSD na Assembleia da República, enaltece o empenho das instituições sociais, cujos braços são maioritariamente femininos, apontando os bons exemplos na Maia.

«A sociedade contemporânea impõe-se de forma intensiva às Pessoas, mas felizmente aporta também uma matriz de solidariedade e faz emergir o papel individual de “cuidador”.Aliás, Augusto Comte (in ‘Sistema de Política Positiva’) formalizou mesmo que “melhor do que qualquer outro animal sociável, o homem tende cada vez mais a uma unidade realmente altruísta, […]”.

Foi no registo desta tendência, associada à garantia de maior eficiência conferida pela gestão das IPSS, que a “malha social do país” se desenvolveu nos últimos anos.

Na Maia, o “edifício social” é maioritariamente assegurado, à semelhança dos padrões mais desenvolvidos a nível internacional, por instituições com gestão e níveis de qualidade superior.

Na maior parte dos casos, estas Instituições cooperam com a Segurança Social, substituindo-se à administração central, tão reconhecido que é o mérito da ação que desenvolvem… e sobretudo das Pessoas(técnicos) que nelas “lutam” todos os dias, por proporcionar bem-estar aos mais desfavorecidos!»

No que ao concelho da Maia diz respeito, Emília Santos especifica que, no concelho, «apoia-se diariamente quase 4.000 utentes, apenas contabilizando a atividade das dezoito instituições com acordo com a Segurança Social! Mas mais do que números impera conhecer estas “Casas de Esperança”, onde cada Funcionária/o, cada Técnicoa/o e cada Dirigente dá o melhor de um ser humano pode deixar como legado à sociedade: a Partilha de tudo aquilo que tem.

Para além destas Instituições, muitas outras existem sem o “reconhecimento” devido por parte da administração central, e algumas aguardam mesmo há anos, a celebração de acordos com a Tutela…

Mas importa realçar, e homenagear, o trabalho desenvolvido por estas instituições e seus funcionários que, por serem na maioria Mulheres e em mês do dia Internacional da Mulher, merecem um duplo tributo. Já Ralph Emerson afirmou que “o que fica atrás de nós e o que jaz à nossa frente têm muito pouca importância, comparado com o que há dentro de nós”.

Os Utentes destas instituições – que garantem que na Maia também os mais desfavorecidos têm novas oportunidades – são justamente (e sempre por defeito) homenageados, e por vezes fica a sensação de havermos esquecido quem por eles cuida, trata, dá carinho, amor e partilha, mantendo inesgotável o sorriso, boa disposição e alegria…

As IPSS maiatas e os seus técnicos são verdadeiras personagens de Friedrich Nietzsche (in “A Gaia Ciência”), quando defendia que “não seremos capazes de modificar um único homem; e se alguma vez o conseguíssemos seria talvez, para nosso espanto, para nos darmos também conta de outra coisa: é que teríamos sido nós próprios modificados por ele!”

Permitam-me a aparência populista do desabafo, mas não resisto:
Vivam as Instituições Sociais!
Vivam as Técnicas e as Pessoas que diariamente cuidam dos mais desfavorecidos!
Vivam as Mulheres Maiatas!
Viva a Maia!»