,

Maia integra associação Litoral Rural

A Câmara Municipal da Maia passa a integrar a associação Litoral Rural. A decisão já foi aprovada pelo executivo e contou ainda com a aprovação da assembleia municipal. O representante do município na entidade é o vereador Paulo Ramalho. As freguesias abrangidas no município são apenas Folgosa, São Pedro Fins e Castelo da Maia.

A “Litoral Rural-Associação de Desenvolvimento Regional”, assim denominada, tem por objeto social a promoção do desenvolvimento local e regional, e designadamente a dinamização do meio rural de forma integrada e sustentável, nas suas vertentes económica, social, ambiental e cultural. E tem como principal atribuição, enquanto organismo intermédio reconhecido pelas Autoridades de Gestão do PDR2020 e Programa Operacional da Região Norte 2020, a implementação do instrumento “DLBC- Desenvolvimento Local de Base Comunitária” nas freguesias rurais dos concelhos da Maia, Matosinhos, Póvoa de Varzim, Santo Tirso, Trofa e Vila do Conde.

Associação também congrega entidades privadas e da sociedade civil

Por outro lado, “a Litoral Rural não é constituída apenas por entidades públicas, como municípios e freguesias, mas também por diversas entidades do sector privado e da sociedade civil, que estabelecem entre si um compromisso de parceria que visa assumir e implementar uma estratégia de desenvolvimento local multissectorial e integrada, verdadeiramente representativa dos diversos actores do território, desde o económico ao financeiro, ao agrícola, ao social, ao cultural, ao da educação… Pelo que a Litoral Rural é também uma oportunidade para discutir e implementar estratégias de desenvolvimento dos territórios rurais de forma alargada e transversal e numa lógica de maior proximidade”, explicou Paulo Ramalho.

Assim nesta parceria, do lado da Maia, também estão instituições como a Associação Empresarial da Maia, Associação de Agricultores da Maia, Cooperativa Agrícola da Maia, Ucanorte XXI, Maiêutica e Santa Casa da Misericórdia da Maia.

Presença na associação importante para gerir fundos comunitários

De acordo com o vereador Paulo Ramalho, o município da Maia “não podia, naturalmente, ficar de fora deste espaço de discussão e construção do território rural, que acima referi. Mas para além do mais, não podemos esquecer que a Litoral Rural é a entidade gestora dos fundos alocados ao instrumento DLBC-Desenvolvimento Local de Base Comunitária, que visa apoiar estratégias de desenvolvimento local que promovam o empreendedorismo, a competitividade, a inovação, o emprego, a sustentabilidade e a inclusão nos territórios rurais”.

Oportunidade de crescimento para freguesias rurais

Neste âmbito, adiantou ainda, já estão em implementação medidas de apoio a pequenos investimentos em explorações agrícolas, a pequenos investimentos na transformação e comercialização, e brevemente serão lançadas medidas de apoio a cadeias curtas e mercados locais.

“Tudo medidas dirigidas, naturalmente, a projetos sediados nos territórios das freguesias rurais abrangidas. E mais tarde, prevemos ainda lançar medidas de apoio a projetos empresariais inovadores e criadores de emprego associados aos recursos endógenos, de apoio a projetos inovadores de conservação, promoção e valorização do património natural e cultural, e de apoio a projetos de criação do próprio emprego ou empresa por desempregados ou inativos”, afirmou Paulo Ramalho.

Angélica Santos