, ,

Câmara da Maia oferece à população conceito de espaço desportivo livre e sem muros

A Câmara da Maia procedeu, no último dia 26, à inauguração da reformulação urbanística da cidade desportiva do município.
A população maiata tem agora ao dispor um espaço que conjuga a zona verde com áreas desportivas e de lazer.

O projeto da autoria da arqtª Laura Roldão constitui um investimento de 2 milhões e 250 mil euros, que conjuga uma intervenção em 10 hectares de terreno.

O projeto da Cidade Desportiva da Maia complementa as infraestruturas já existentes dedicadas ao desporto, como o Estádio Prof. Dr. José Vieira de Carvalho, o Complexo Municipal de Ténis, o Complexo Municipal de Ginástica e o Pavilhão Gimnodesportivo.
Contempla percursos pedestres, zonas de jardim, uma cafetaria, um skate park e um lago. Além do lazer e prática desportiva, o espaço permitirá eventos culturais.

“Em pleno coração da cidade da Maia, a comunidade concelhia dispõe agora de um espaço singular, excelso e franco, que reforça e consolida a oferta de zonas verdes, bem como de áreas desportivas e de lazer acessível a todos”, sublinhou o presidente da Câmara, António Silva Tiago, que considerou o espaço uma área privilegiada para cuidar da boa forma física.

A área é servida por “excelentes acessos, como salientou o autarca, “tem por limites a Av. D. Manuel II, a Av. Altino Coelho, a Av. Luís de Camões e a Rua José Rodrigues da Silva Júnior, ocupando praticamente todo o quarteirão. E à distância de um pequeno percurso a pé, encontram-se a EB1 D. Manuel II, a Escola EB 2,3 Gonçalo Mendes da Maia e a Escola Secundária, cuja população estudantil ascende a mais de 3000 alunos”.

Além das boas acessibilidades, a área desportiva é servida por carreiras regulares de “transportes públicos que permitem boa acessibilidade ao quarteirão, com diversas paragens localizadas na sua envolvente”, lembrou o autarca.
Destaca-se a proximidade à estação de Metro Fórum Maia, situada a uns escassos 5 minutos a pé.

A cidade desportiva da Maia é fruto de uma reformulação numa “lógica urbanística ambientalmente mais sustentável”, que interliga e proporciona “uma coerência harmoniosa entre todos os elementos situados no seu interior e na periferia, para que a sua fruição seja o mais natural possível”.

A pensar num uso regular, todos os dias da semana, este novo espaço desportivo oferece circuitos que permitem a prática de desportos e atividades tão variadas como: skate, patinagem, corrida, caminhada, exercícios de manutenção, Ioga, malha, entre outras possibilidades de fruição ao ar livre.

António Silva Tiago reforça o conceito de espaço de fruição livre “sem muros, para apropriação de toda a comunidade concelhia”.