,

Cibersegurança deve ser encarada pelas empresas como prioridade

O TECMAIA e a Associação Empresarial da Maia uniram-se, no dia 26 de junho, para a organização de uma iniciativa de esclarecimento ao tecido empresarial.

Em análise neste encontro esteve a Cibersegurança, na medida em que este é um tema encarado como umas das prioridades máximas na gestão e operacionalização das empresas.

Os convidados e intervenientes principais foram Constantino Jacob, da Polo-iT, e Luciano Martins, da guardSI Portugal, que, após um enquadramento inicial de Inácio Fialho de Almeida, presidente da Associação Empresarial da Maia, debaterem a importância das empresas encararem a Cibersegurança como uma prioridade face ao crescente número de criminalidade neste campo.

Com a crescente digitalização das empresas, estas estão cada vez mais expostas a ciberataques que procuram, sobretudo, informação privilegiada ou o pedido de resgates financeiros para a devolução de dados.

Foi ainda deixado claro pelos dois convidados que as pequenas e médias empresas não são capazes de garantir uma segurança cibernética sem a ajuda de profissionais e empresas especializadas. Assim, foi aconselhado um acompanhamento à medida da realidade de cada organização numa implementação de boas práticas – preferencialmente em harmonia com a nova Regulamentação Geral de Proteção de Dados e a ISO 27001, centrada na Gestão de Segurança e Informação.

A Polo-iT é uma empresa fundada no Brasil e neste momento em processo de internacionalização. A empresa, que escolheu recentemente o TECMAIA para a sua base no continente europeu, é especialista em soluções de monitorização de ambientes críticos da Tecnologia da Informação com especial destaque para administração contínua de banco de dados.

Já a guardSI Portugal dedica-se à consultoria em processos que pretendem ajudar as equipas de informática e de segurança a analisar e certificar que o ambiente da empresa está preparado para o combate a ataques.