,

Grupo da CDU visitou esquadra da PSP da Cidade da Maia

Face a preocupações existentes relativas ao fecho em períodos noturnos e a falta de pessoal na esquadra da Cidade da Maia, uma delegação da CDU, encabeçada pela deputada do PCP Ângela Moreira, reuniu esta terça-feira, dia 30 de julho, com os responsáveis da coordenação daquela esquadra.

Esta reunião foi solicitada depois de os elementos da CDU na Assembleia Municipal da Maia não terem ficado devidamente esclarecidos com a informação fornecida na última sessão.

Assim, esclareceu Ângela Moreira, “viemos saber à fonte segura o que se passava, reunindo com o subintendente António Almeida”. A conclusão a que os elementos da CDU chegaram é que “há falta de efetivos” e de condições de trabalho na esquadra da PSP da Maia.

As informações que se pretendiam esclarecer prendiam-se com o encerramento da esquadra das 23h00 às 7h00 por falta de meios humanos. A explicação dada, referiu a deputada do PCP, “foi que para funcionar em serviços mínimos, a esquadra precisa de quatro efetivos, dois na esquadra e dois no carro-patrulha. Pelo que havendo só três, um fica na esquadra e dois vão para o carro-patrulha.

O problema é que, ficando um agente nas instalações, não consegue dar resposta com segurança ao atendimento público. O polícia tem que fechar a porta da Esquadra, atende telefones e, se necessário, chama o carro-patrulha de novo à esquadra. O que não corresponde à informação dada na AM”.

Os visitantes comunistas quiseram ainda tirar a dúvida quanto ao anunciado projeto da construção da nova Divisão da PSP da Maia, nomeadamente se a esquadra de Águas Santas iria ser alvo de fusão com esta nova Divisão na Maia e se iria ter que fechar.

Ângela Moreira adiantou que ficou desfeito o equívoco tendo sido informada que a Esquadra de Águas Santas vai manter-se e na nova Divisão ficarão a esquadra da PSP da Maia e os núcleos de Investigação Criminal existentes noutras sedes da PSP.

Reunidos com o subintendente António Almeida estiveram também Alfredo Maia, eleito na Assembleia Municipal da Maia e candidato da CDU à Assembleia da República, Carla Ribeiro, eleita na Assembleia Municipal da Maia pela CDU, Cristiano Castro, responsável pela Organização Concelhia da Maia do PCP, e ainda Júlio Campos, do Conselho Nacional do partido Os Verdes e também candidato pela CDU à Assembleia da República.

Há constrangimentos na ação da PSP, mas o Subintendente António Almeida terá referido que dá atenção às prioridades, que “não fica por fazer o serviço mínimo e básico exigível, tendo em conta os meios existentes”, afirmou Ângela Moreira.

Ainda assim, o responsável pela esquadra da PSP não terá confirmado que existe falta de efetivos, mas os elementos da CDU consideram que, perante o que lhes foi exposto, existe de facto essa carência.

A deputada do PCP sublinha “chegámos facilmente a essa conclusão, até porque se o agente que fica de serviço sozinho tem que fechar a porta da esquadra durante a noite, é lógico, achamos nós, que existe falta de efetivos e de condições de trabalho nesta esquadra maiata”.

De resto, Ângela Moreira afirmou à reportagem do Maia Primeira Mão que não existem problemas apenas na Maia: “é caraterística do nosso partido visitarmos regularmente espaços de trabalho onde existem carências, e no caso da PSP, temos vindo a fazer incursões a Gaia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, por exemplo, tendo verificado carências em todas as instalações, onde existe uma preocupação transversal a todos também com o edificado e as condições de segurança e saúde no trabalho dos polícias.

Por outro lado, a carreira dos polícias está distorcida, havendo um impedimento que tenham progressões, o que tem repercussões na parte remuneratória, são de facto trabalhadores que devem ser valorizados”.