,

World Press Photo na Maia associada à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável

O concurso World Press Photo é a principal competição do mundo para fotógrafos de imprensa, fotojornalistas e fotógrafos documentais, a nível profissional, e estabelece os padrões da profissão. O concurso deste ano atraiu 4.738 fotógrafos de 129 países. No total, foram apresentadas a concurso 78.801 imagens. As fotografias premiadas são apresentadas numa exposição que passa por mais de 100 cidades em mais de 45 países.

Depois de Lisboa, a Maia é a cidade escolhida a Norte do país para a apresentação da exposição. A inauguração da World Press Photo 2019 na Maia terá lugar no dia 30 de outubro, pelas 21h30, e contará também com a presença da Comissária da Fundação World Press Photo, Samira Damato, bem como do fotógrafo português premiado, Mário Cruz.

A exposição, de entrada gratuita, estará patente no Fórum da Maia, de 31 de outubro a 22 de novembro, de terça a domingo, das 9h00 às 22h00.

A Fotografia do Ano é da autoria de John Moore, intitula-se “Menina a chorar na fronteira” e retrata uma criança hondurenha, Yanela Sanchez, a chorar quando ela e a sua mãe, Sandra Sanchez, são levadas em custódia por oficiais da fronteira dos EUA, em McAllen, Texas.

O fotógrafo português Mário Cruz recebeu o 3º Prémio na categoria de Ambiente, com uma fotografia intitulada “Vivendo entre o que ficou para trás”, que retrata uma criança que coleta material reciclável num colchão cercado por lixo a flutuar no rio Pasig, em Manila, nas Filipinas.

Este fotógrafo também já havia visto o seu trabalho premiado numa edição anterior da World Press Photo. Reforçando o apoio aos profissionais do nosso país, e tal como acontece sempre que um fotógrafo português consta entre os premiados, foi esta a fotografia escolhida pela Câmara Municipal da Maia para promover a exposição no município.

“É prestigiante para o Município da Maia ter a possibilidade de apresentar esta excelente mostra de fotografia jornalística e pertencer ao restrito grupo de cidades da Europa e do mundo que acolhem este evento todos os anos”, refere o vereador das Relações Internacionais, Paulo Ramalho.
A World Press Photo realiza-se na Maia há 19 anos e é já um acontecimento de grande relevância no município e na região Norte, aguardado com enorme expectativa pelos milhares de pessoas que habitualmente visitam a exposição. Todos os anos a exposição recebe grande número de visitantes, incluindo visitas de estudo organizadas por instituições de ensino. O ano passado visitaram a World Press Photo na Maia cerca de 9.000 pessoas.

“Esta exposição mostra de uma forma precisa, justa e visualmente atraente o que de mais relevante aconteceu no mundo em 2018, promovendo uma reflexão sobre os tempos atuais e sensibilizando cada um de nós para a existência de desafios globais para os quais todos podemos e devemos prestar o nosso contributo.

Sabendo que uma imagem tem mais força e gera mais atenção do que qualquer mensagem escrita, tendo por isso maior poder de impulsionar os cidadãos para uma cidadania ativa, a Câmara Municipal da Maia entende que esta exposição é uma excelente forma de reforçar a afirmação e pertinência dos pilares da Agenda 2030 para todos os cidadãos, e para todos os territórios do mundo, sejam eles mais ou menos desenvolvidos”, sublinhou Paulo Ramalho.

Nesse contexto, a Câmara Municipal da Maia irá abordar a exposição encarando-a na perspetiva da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e mostrando como os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estão relacionados com cada fotografia premiada retratada.

A World Press Photo 2019 na Maia contará com o patrocínio da LIPOR e da Maiambiente que, à semelhança do que tem acontecido em anos anteriores, divulgará a exposição em quatro viaturas de recolha de resíduos sólidos, ostentando oito das fotografias premiadas.