,

Reside e trabalha na Maia o Homem mais forte de Portugal 2019

Renato Soares venceu a competição do “Homem mais forte de Portugal” na Power Expo, que se realizou no início deste mês, na Maia.

O atleta reside na Maia, tem 42 anos, começou a treinar em 1995 e foi em 2002/03 que se iniciou na modalidade de powerlifting.

Desenvolve em simultâneo a atividade de treinador, num ginásio no concelho da Maia, onde também formou uma equipa de competição.
Tem vindo a participar em várias competições até atingir o título na prova absoluta do “Homem mais forte de Portugal”.

Carreira de força e coragem

Renato Soares recorda que, desde que começou em 2002, foi várias vezes campeão nacional de powerlifting, foi campeão europeu e ficou em terceiro lugar no campeonato do Mundo.

E, salientou, “em 2011 acumulei o desporto de Strong Man à atividade de powerlifting, dois desportos completamente diferentes, embora sejam de levantamento de pesos”. Foi nesse ano também que ficou em 4º lugar na competição “Homem mais forte de Portugal”, entretanto, fez algumas provas internacionais. Acumula troféus como a “melhor classificação de sempre de um português no Arnold Classic, em Barcelona (2016), tendo conquistado o 6º lugar no campeonato do mundo amador”.

E em 2017 subiu ao pódio, na terceira posição, do Homem mais forte de Portugal. No ano passado, ficaria apenas em 5º lugar devido a uma lesão, “uma prova menos conseguida”, admitiu em declarações ao Maia Primeira Mão. No entanto, Renato Soares não esmoreceu e continuou o esforço até conseguir atingir o topo e o cinto dourado de 1º lugar nesta prova, no que considera o “pico” da sua carreira.

Troféu pode abrir algumas portas a apoios

Renato Soares treina atletas de Powerlifting e espera que a sua vitória como “Homem mais forte” contribua para a divulgação da modalidade abrindo novas parcerias, numa área desportiva em que é “extremamente difícil” conquistar patrocínios.

Renato explica que tem dois patrocinadores, mas espera que esta conquista “possa abrir mais algumas portas no que diz respeito a parcerias e também na divulgação deste desporto. Além disso seria importante que as Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia pudessem desbloquear mais fundos para este tipo de desporto. Espero que esta vitória possa trazer mais algum tipo de apoio nesta área”, afirmou o Homem mais forte de Portugal 2019.

Os apoios são muito importantes, tendo em conta que é um desporto muito duro e com uma curta duração em termos de carreira. Nestes desportos de força, a maturidade do atleta é atingida aos 35 a 37 anos, podendo o auge ser atingido por volta dos 40 anos. A dedicação tem que ser a tempo inteiro.

“Auto estrada para o inferno”

Renato Soares costuma dizer que “nestes desportos de levantamento de pesos, a competição é uma auto estrada para o inferno, é um desporto que provoca muita dor, muitas lesões e a dedicação tem que ser a 200 por cento”.

No meu caso, este esforço todo “compensou porque tornei-me profissional, ou seja, trabalho no ginásio, criei a maior equipa de strong man do país – hammer team -, também sou treinador de powerlifting e faço formação de atletas de Culturismo”, explicou Renato Soares.