,

Maia obtém visto e paga dívida de 1977 à EDP com perdão de 40%

O município da Maia pagou já à EDP 11,8 milhões de euros que resultavam de uma dívida histórica, em conta corrente desde 1977. Com esta operação, a Câmara conseguiu a vantagem de um perdão de dívida da ordem dos 40%.

O município pagou à EDP 1,5 milhões com capitais próprios, tendo contraído um empréstimo bancário de 10,2 milhões de euros para o pagamento do restante. Toda a operação recebeu o visto do Tribunal de Contas já em outubro.

António Silva Tiago congratula-se com “o acordo extremamente vantajoso para o município”, dado que “a Câmara da Maia conseguiu uma redução de 40 por cento de uma dívida que remontava a 1977”.

Todo este processo só foi possível “graças à saúde financeira invejável da autarquia. Agora, com o pagamento da totalidade da dívida, baixamos muito significativamente o nosso nível de endividamento”, sublinha o autarca, lembrando que “o objetivo é reduzir para zero a dívida de longo prazo, que é aquela que é contabilizada para o limite do endividamento”.

Com o novo acordo firmado em fevereiro deste ano, o município conseguiu um perdão de dívida da ordem dos 40 por cento, estabilizando-se o valor em 11,8 milhões de euros.

Esse valor foi pago na totalidade este mês, depois de o Tribunal de Contas ter autorizado a operação de financiamento bancário.