Artigos

,

João Torres vai continuar como secretário de estado do Ministro da Economia Pedro Siza Vieira

O jovem maiato João Torres consta da lista de 50 elementos indigitados por António Costa para o governo do PS. João Torres está indicado para o cargo de Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, dando continuidade…
,

PS emite comunicado sobre dívidas do TecMaia

O PS Maia emitiu um comunicado no dia 3 de fevereiro, que nos fez chegar à redação no mesmo dia, em que sublinha que votou contra, na reunião de Câmara e na Assembleia Municipal, o pagamento da dívida relacionada com as execuções…
, ,

Miguel dos Santos concentra atenções no Centro Cívico de Águas Santas

Eleito há cerca de sete meses (numa lista do PS) como presidente da Junta de Águas Santas, Miguel dos Santos, estabeleceu consensos e considera que tem reunidas condições para cumprir com o seu projeto para a freguesia, que poderá ser estendido…
João Torres, líder JS nacional

João Torres: “É preciso mudar algumas políticas na Maia, que perdeu com este executivo a pujança de outros tempos”

Engenheiro Civil, 30 anos, natural de Gueifães, Maia. Considera-se um jovem comum, fruto da escola pública. Estudou na primária e na EB 2/3 de Gueifães, na Escola Secundária da Maia e na FEUP (Faculdade de Engenharia da Universidade do…
Passos Coelho e António Costa

Quatro meses de novo Governo… e de nova oposição

Não tendo ganho as eleições legislativas, a verdade é que hoje António Costa e o Partido Socialista são Governo. E Passos Coelho e a Coligação PSD/CDS-PP, apesar de as ter vencido, são oposição. É certo que a tradição já não…
Passos Coelho e António Costa

Fratura exposta

Portugal padece hoje de uma dolorosa fratura exposta que separa em duas partes, um país que até há bem pouco tempo, beneficiava de uma unidade baseada na diversidade democrática. Da inquietação decorrente dos resultados eleitorais,…
Passos Coelho e António Costa

Semana: A moção de Costa

1.- António Costa apresentou a sua moção à candidatura de secretário-geral do PS. A sua leitura deverá ser atenta, embora o esboço seja genérico. Não é possível, por ora, verificar com profundidade o que vai acontecer. Diz, ele, que…
Passos Coelho e António Costa

Semana: Ética política

1.- É necessário, quanto urgente, que o sucesso de uma pessoa não seja o insucesso de outra, porque isso martiriza. O que aconteceu, a imprensa relata que “esmagou”, nas eleições primárias do PS poderá ser o princípio de uma longa…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Victor Dias: A perseguição do passado

Se analisarmos os conteúdos dos jornais dos anos mais recentes, sem dificuldade, chegaremos à conclusão que o passado é o maior caçador de políticos. O passado é implacável, e as suas memórias mordem como dentadas de tubarão, cujas…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Victor Dias: As duas metades do PS

Até ao próximo fim-de-semana, o Partido Socialista está suspenso em duas metades, que não serão rigorosamente iguais. Não sabemos, pelo menos para já, qual das duas metades é a do António? Creio que a metade do António será…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Joaquim Armindo: Ainda as primárias

1.- A menos de uma semana das eleições primárias do Partido Socialista Português, para apurar quem deverá ser o candidato a primeiro-ministro, coloco várias interrogações sobre o processo, e a forma que sabemos tem decorrido. A ideia…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Joaquim Armindo: SEMANA: As primárias

1.- O Partido Socialista decidiu que os cidadãos que assim o entendessem pudessem votar no candidato para primeiro-ministro. É bom, a participação de todos aqueles que não sendo militantes de um partido são contudo votantes e são ouvidos…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Joaquim Armindo: A Semana: As duas moções

1.- Lemos, com a devida atenção, as duas moções apresentadas por António José Seguro e António Costa, como candidatos ao cargo de primeiro-ministro do país. Tivemos a sorte de as podermos ler, até porque são publicadas na internet.…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Victor Dias: Um caminho inevitável

Creio que não é preciso ser nenhuma inteligência iluminada, para que se perceba com alguma clareza que o futuro de Portugal, mais do que consensos políticos e sociais, quase sempre frágeis, precisa fundamentalmente de compromissos sérios…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Joaquim Armindo: Semana: Primárias e Bloco

1.- Não duvidamos que os dois candidatos do Partido Socialista: António José Seguro e António Costa tenham sempre as salas a abarrotar de pessoas, agora militantes e simpatizantes. Se o dizem, e não podemos, nem devemos, afirmar que é…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Joaquim Armindo: Semana: Os Antónios!

1.- António Costa e António José Seguro. Dois homens com os mesmos princípios, e que podem em determinadas altura divergirem, mas não no essencial. Temos ouvido, por aí, que o melhor seria António Costa para desenvolver Portugal. Nem…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Victor Dias: O que distingue Seguro de Costa?...

O Partido Socialista é uma força política imprescindível ao nosso sistema partidário, cujas responsabilidades são, como se diz agora, absolutamente incontornáveis. Na história recente da Democracia portuguesa, o PS e alguns dos seus…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Victor Dias: Social democracia socialista

Com a pré-campanha eleitoral para as europeias já em pleno, é grande a dificuldade em apurar o que distingue, em conteúdo, Rangel de Assis. Na verdade, é como escolher uma certa marca de chocolates, tendo de optar entre cubinhos ou bolinhas,…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Victor Dias: O que separa o PSD do PS?

Tenho vindo a analisar cuidadosamente as declarações de alguns destacados dirigentes e figuras dos dois maiores partidos portugueses, para tentar compreender, em que matérias, as suas divergências ganham substância. Extraindo dessa análise,…
Passos Coelho e António Costa

Opinião Victor Dias: O que é nacional é… preocupante

O que havia a dizer sobre a interpretação dos resultados eleitorais na Maia, basicamente está dito. Basta olhar para os números e ver que Bragança Fernandes foi mais forte que a revolta, mais forte que a contestação e o repúdio das severas…