“Abro a janela ao Teatro”, desafio feito a centenas de famílias na Maia

0
472
imagem CMM
- Publicidade -

“Abro a janela ao Teatro” foi uma ação dinamizada junto de Empreendimentos de habitação social do concelho da Maia, no dia mundial do Teatro, 27 de março.

A propósito desta efeméride, o projeto CLDS 4G Incluir+, no âmbito da atividade Baz’arte, que pretende desenvolver competências culturais junto das famílias, resolveu percorrer as ruas com atores e músicos levando a arte até às famílias dos empreendimentos sociais, tendo em conta que as pessoas não podem ir ao teatro devido ao contexto de pandemia.

A equipa do projeto da Misericórdia da Maia, coordenada por Cristina Machado, e que conta com o apoio da Câmara Municipal da Maia e da Espaço Municipal, deu alegria a centenas de famílias, que, habitualmente, não têm acesso à arte dramática.

“Abro a janela ao Teatro” levou uma trupe ambulante pelos empreendimentos Urbanização do Pinhal (Moreira), Aldeia e Rua da Fábrica (VN Telha) da parte da manhã, e ainda, Urbanização da Bajouca (Castelo da Maia), Outeiro e Ponte das Cabras (Cidade da Maia), da parte da tarde.

A animação foi levada a cabo pelo projeto Rodopio-Cultura em Movimento da Associação Mafagafa e pela Companhia Boca de Cão.

Foi um espetáculo de interação direta da marioneta com o público, que trabalha o universo misterioso e místico com uma forte componente cómica.

Cardo e Arruda são aprendizes da bruxa Zulmira e transportam um grande caldeirão que desperta muita curiosidade. Para acordar a bruxa de um eterno sono os dois personagens entoam uma evocação com a ajuda do público e puf… salta a Zulmira do meio do fumo sempre alegre e divertida…

O público estava à janela e era desafiado a intervir. As famílias passaram momentos divertidos, “largos sorrisos nos rostos”, como contou Cristina Machado ao Primeira Mão, tendo sido “uma oportunidade que as pessoas tiveram de ser animadas, numa altura em que o contexto traz mais depressão e excesso de tempo passado em casa”.

- Publicidade -