Alentejo é convidada da Feira de Artesanato

1
269

A região do Alentejo é, este ano, a região convidada da 14ª edição da Feira de Artesanato da Maia. O certame foi inaugurado no passado sábado e pode ser visitado até segunda-feira, dia de feriado municipal, reúne mais de duas centenas de artesãos de todo o país, que aproveitam o evento para mostrar as suas obras e trocar experiências.

No stand da Região do Alentejo estão duas senhoras a trabalhar, mais concretamente a fazer bordados de Nisa, “a capital do artesanato”, refere Teresa Godinho, técnica de Entidade Regional de Turismo do Alentejo. No entanto recorda que é uma região rica em artesanato. “Temos, entre outras coisas, os tapetes de Arraiolos, a tapeçarias de Portalegre e os bordados de Nisa. Esta região é muito rica em artesanato.
Não foi uma escolha da Região de Turismo. Teresa Godinho diz que fizeram vários contactos com outras câmaras, no entanto, não houve disponibilidade por parte dos artesãos, uma vez que o evento é de 12 dias.
Paralelamente aproveitam também para fazer promoção turística da região. “Nós temos uma oferta muito diversificada, nós temos o chamado Arco-íris. Nós temos património em termos de monumentos, temos gastronomia e vinhos, praia, desportos náuticos, turismo em espaço rural, portanto, temos uma oferta muito diversificada”, enumerou a técnica de turismo.

Esta é uma primeira participação, mas Teresa Godinho afirma que “com certeza” vão querer voltar à Maia. Até porque anualmente participam em muitos certames do género. Este ano aproveitam também para promover uma campanha que foi lançada no ano passado e vai manter-se até 2011 e que passa por, na compra de duas noites numa unidade hoteleira, a oferta de uma terceira noite em nova reserva. “Só bons motivos para passar pelo Alentejo”, garante.

O convite a uma região portuguesa em detrimento de um país nada teve a ver com os cortes na despesa, garante o presidente da Câmara da Maia, Bragança Fernandes, acrescentado que ser “mais apologista da vinda à Maia de regiões portuguesas do que estrangeiras”. Poderá ser um modelo a adoptar, acrescenta. “São simpáticos, falam a nossa língua e é muito mais fácil até para os visitantes”.
Para além disso, o edil da Maia diz preferir dar a conhecer um Portugal que poucos conhecem. ”Nós temos a mania de criticar tudo e Portugal é lindíssimo, tem locais lindíssimos, coisas fantásticas e muito pouco conhecidas. Eu acho que devemos criticar menos e olhar para o que de bom temos no nosso país”.

Bragança Fernandes considera que a qualidade tem vindo a aumentar de ano para ano e que isso “é fruto do trabalho que está a ser desenvolvido pelo vereador da cultura e pelo chefe de divisão do Turismo, que muito tem feito para trazer aqui artesãos de qualidade”.

No ano passado, passaram pelo recinto da feira de artesanato cerca de 210 mil visitantes. Este ano, a autarquia pretende superar esse número. “Se o tempo ajudar, com certeza, iremos alcançar os 300 mil porque a qualquer lado que eu vá me perguntam quando se realiza o certame”, espera o edil da Maia.
Paralelamente, todos os dias, há um programa de animação, que privilegia a música tradicional portuguesa e de fusão. Todas as noites, a partir das 21h30 é possível assistir aos espectáculos musicais. Destaque ainda para o dia de amanhã, dia dedicado às crianças. Durante a tarde não vão faltar actividades para os mais pequenos, insufláveis, ateliers, homem dos balões, malabaristas, jogos populares e teatro infantil.

Isabel Fernandes Moreira

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.