Berg inicia no concerto da Maia gravações para DVD

0
279
Berg
- Publicidade -

Berg inicia na Maia a digressão 2016/17, que coincide com a divulgação do seu novo disco “Tempo”, lançado em abril, e com as primeiras filmagens para o próximo DVD. O espetáculo é este sábado, 10 de setembro, no Grande Auditório do Fórum da Maia.

Este início de nova digressão, após dois anos na estrada sem álbum de originais, surge após bons espetáculos, o reconhecimento do seu nome como artista a solo, após o impulso dado pelo programa televisivo de talentos “Fator X”. Berg referiu ao Primeira Mão que “não tem parado muito”. “Foi neste verão a primeira vez que decidi tirar umas férias de duas semanas, até porque o lançamento do álbum foi tardio, mas está a correr muito bem”. Não fez muitos festivais de verão, a não ser o Caparica Surf Fest, mas, diz Berg, “temos feito muitas festas e romarias por vários concelhos do país, concertos de rua e queimas, etc.”.

O cantor, com uma forte ligação à Maia, está com uma elevada expetativa no que respeita ao concerto no Fórum, porque estar aqui é como “estar em casa”. A partir daqui é que tudo vai acontecer, até porque Berg não está muito satisfeito com a promoção do seu disco e considera que é preciso fazer muito mais. “Contei com os apoios mais recentemente dos canais da FOX e da MTV”, que vieram colmatar alguma falha da editora e muito pouco investimento das rádios em Portugal.

Fator X

Berg considera que há muitos lobbies em volta das rádios portuguesas, que impede a divulgação eficaz de muitos cantores que não pertencem a determinado círculo de privilegiados. Por vezes diz-se que cantar em inglês é um obstáculo para que a música de cantores nacionais passe nas rádios, mas o certo é que Berg apostou em cantar em português, algo muito “mais desafiante do que cantar em inglês ou espanhol, porque o português é uma língua mais difícil para cantar com qualidade”, e de nada adiantou na promoção junto das rádios.

“Criei o meu nome e a minha imagem graças um programa de televisão, depois de longos anos a tocar com artistas de qualidade, por isso consegui entrar no mercado dos concertos, mas não com o apoio da promoção das editoras ou das rádios. E eu ainda sou um privilegiado, pois tenho boas rádios que estão comigo, como a Comercial e a Renascença, que têm ajudado e passam a minha música”, referiu o cantor.

“As pessoas são o presente mais forte que tenho após o Fator X, ainda bem que tenho as pessoas comigo”, sublinhou Berg, que continua a destacar o papel de alavanca muito forte que o programa de televisão teve na sua vida artística.

- Publicidade -