Carolina Torres: A Maia também tem Ídolos

1
323

Tudo começou na brincadeira, com colheres de pau a improvisar microfones e CDs a tocar. Carolina Torres é da Maia e está a dar nas vistas no Ídolos, o conhecido concurso de talentos que vai para o ar na SIC, todos os domingos à noite. Desde cedo que a mãe de Carolina a achava parecida com a Rita Lee. Mas esta não é a primeira experiência da artista maiata nos palcos da televisão. Com apenas seis anos, participou no Mini-Chuva de Estrelas. "Logo aí vi logo aquela magia da televisão, aqueles cortes, aquela porta que abre e fecha é tudo montagem. Perceber aquilo tudo com seis anos foi engraçado, despertou-me logo o interesse de trabalhar e viver naquele mundo", confessa Carolina Torres, numa entrevista à Rádio Lidador.

 

No secundário, Carolina frequentou a escola artística Soares dos Reis, no Porto. A escolha deveu-se ao gosto da artista pelo mundo do espectáculo. "Aprendi imenso com as pessoas de lá. Cheguei a tirar audiovisual durante dois anos e então aí é que foi…", acrescenta. E por falar em audiovisuais, "pouca gente sabe" que Carolina já participou em cinema. Foi no filme do ano passado "Star Crossed", que contava a rivalidade entre dois clubes portugueses ficcionais. Na película, Carolina desempenhou o papel de Leonor, "um papel pequenino mas já foi muito bom".

A figura da mãe está muito presente na vida da cantora maiata. "Foi ela que me escreveu nos Ídolos e sempre me apoiou imenso", embora a esperança de Carolina fosse algo escassa. "A falar com o meu namorado, dizia sempre que há lá miúdas que cantam muito bem, que ia parar aos Cromos e não me sentia nada inserida. Achava que o Ídolos procurava algo que não sou". O cenário mudou quando acabou por receber, contra o que esperava, "muitos elogios durante os castings do programa". Elogios que a encheram de alegria. "Saí de lá a correr, fiquei mesmo contente, e ainda por cima fui a última no Porto a ser ouvida". Carolina ficou surpreendida porque nas anteriores edições do concurso "os candidatos tinham um registo mais pop e agora estamos a ver uma diversidade incrível, se pegarmos nos finalistas".

Carolina confessa que nunca foi uma pessoa muito confiante e que só agora é que começou a reparar que tinha "algum valor", apesar dos constantes elogios da mãe. "Mas esta é a minha mãe, não pode ser, não faz sentido". No entanto, a maiata adianta também que encarou sempre a música como fazendo parte da alegria que fazia transparecer no dia-a-dia e nunca tinha pensado no mundo do espectáculo com muita seriedade. "No café e assim os meus amigos diziam-me para concorrer aos Ídolos, mas eu achava sempre que eles só estavam a ser simpáticos". A história ditou um rumo diferente. Carolina recebe hoje elogios de todas as vertentes mas isso não muda a maneira de pensar da artista. "Continuo sempre com as expectativas em baixo, estou sempre pronta para sair". Expectativas baixas que "funcionam como uma defesa, não quero ser como aquelas miúdas que iam para os castings a tremer e a chorar. Eu acho que as pessoas têm de ter calma e perceber que aquilo é apenas um concurso", adianta Carolina Torres, já preparada para algo que possa correr menos bem daqui a dois dias.

A popularidade da Carolina na Internet

A edição 2009/2010 do concurso Ídolos tem apenas alguns meses, mas isso parece ser o suficiente para Carolina Torres já ter uma legião de fãs bastante razoável. No conhecido motor de pesquisa Google já é superior a um milhão o número de buscas pelo Facebook da jovem cantora. Também à data, acrescente-se que a busca pelo blogue da Carolina já chega perto dos dois milhões de pesquisas. Com centenas de milhar de procuras surgem termos como "carolina torres idolos", "carolina idolos hi5", entre outros. Isto tudo numa altura em que a página de fãs no Facebook da Carolina já ultrapassou a barreira dos 1000 admiradores, com dezenas de comentários diários de apoio.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.