Escritores “da casa” na feira do livro da Maia

1
944

Aberta desde sábado, a Feira do Livro da Maia decorre até segunda-feira, na Praça Doutor José Vieira de Carvalho. A iniciativa, organizada pela Biblioteca Municipal Doutor José Vieira de Carvalho, vai já na quinta edição e de acordo com o presidente da edilidade, Bragança Fernandes, veio para ficar. “Eu não pensava que a feira fosse tão procurada como tem sido até aqui. No ano passado foi visitada por mais de 50 mil pessoas e eu espero que este ano esse número seja superado”, afirmou, no sábado, durante a inauguração do certame.

Na sua primeira edição a organização escolheu o lema “Uma Ponte para o Livro” que acabou por ficar. Contudo, este ano, junta-se o mote a “leitura | diversidade”, sendo que “a multiplicidade de acções culturais que surgem de e para a leitura tem pontuado de forma significativa as anteriores Feiras do Livro da Maia e serão uma continuidade dos êxitos anteriores”, afirma a organização.
Bragança Fernandes diz-se satisfeito porque os hábitos de leitura dos portugueses e, em particular, dos maiatos “estão a mudar”. “Faz bem ler, os mais novos estão a começar a ler e ainda bem porque é lendo que se tem mais cultura”.

Ao longo dos dez dias de certame os visitantes podem contar com um diversificado conjunto de actividades culturais, entre as quais encontros diários com escritores, sessões de autógrafos, espectáculos de animação do livro e da leitura e oficina de escrita criativa.

Os autores maiatos têm um papel particularmente importante neste programa cultural, do qual ainda se destaca um encontro com o escritor Gonçalo M. Tavares, uma sessão de autógrafos com João Pedro Mésseder, amanhã, às 17h00. É o nome literário com que o professor, investigador e crítico de literatura, José António Gomes, assina as suas produções literárias destinadas não só a crianças mas também a adultos.

No domingo, às 19h00, pode assistir à leitura dramatizada do livro “A biblioteca misteriosa do Tio Serafim”, um livro Infanto-juvenil de Maia Marques. À noite, a partir das 21h00 é a vez do espectáculo “A Bela e o Monstro, o musical” pelo Pé no charco – Teatro Oficina de Vermoim.

Destaque ainda para uma conferência, na segunda-feira, às 19h00, com o Professor Esteves Rei subordinada ao tema “Que pode a leitura? Natureza e finalidades”. Um momento que promete uma reflexão do que é hoje ler.
São mais de 30 o número de editoras presentes, um número semelhante ao do ano passado, que dispensam para o certame mais de cinco mil títulos, aos quais se juntam ainda livros de fim de edição a partir de um euro.
“Este evento é um dos momentos em que esta Biblioteca Municipal sai de portas em busca comunidade que serve, razão primeira da sua existência”, afirma a organização.

Isabel Fernandes Moreira

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.