Feira de Artesanato pode ser porta de abertura para a Croácia

0
148

Se ainda não o fez, até segunda-feira, dia de feriado municipal, pode visitar a 13ª Edição da Feira de Artesanato da Maia. A iniciativa, organizada pelo sector do Turismo da Câmara Municipal da Maia, integra o programa de festas do concelho. É a oportunidade de apreciar o trabalho dos mais de 180 artesãos nacionais, distribuídos por 128 stands e ainda do país convidado deste ano, a Croácia.

 

A inauguração foi no passado sábado e este ano não contou com a presença do presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, que estava no final de uns dias de férias. No seu lugar, esteve o vice-presidente, António da Silva Tiago, devidamente acompanhado pelos vereadores Mário Nuno Neves e Paulo Ramalho. A inauguração do certame contou com a presença do embaixador da Croácia em Portugal, Zeljko Vukosav, que deslocou-se à Maia acompanhado pela adida da Embaixada, Darija Buljan e do Cônsul Honorário no Porto, José Armindo Duarte Lopes.

No stand da Croácia estão alguns folhetos promocionais do país como destino de férias e artesanato em vidro que o embaixador em Portugal, Zeljko Vukosav, diz ser mais moderno. “É uma expressão um pouco nova de uma ligação com o mar e dos navios e peixes que é uma coisa antiga para nós. Faz para de cada croata”, sublinha. De resto, o artesanato “é muito parecido com algum do português que vi aqui na feira. Temos muitas coisas semelhantes na Croácia”. Já conhecia o artesanato português e considera-a muito próximo do do seu país.

Esta não é a primeira vez que a Croácia participa em certames fora de portas mas é certamente a primeira vez que está na Maia, por isso, não deixou de agradecer o convite ao município até porque pode abrir portas para outras parcerias. Zeljko Vukosav adianta que depois dos laços culturais poderão surgir os laços económicos, daí acreditar que a sua próxima visita à Maia “será dentro da comunidade empresarial”. “Este poderá ter sido o primeiro passo nesta região de Portugal para estabelecer cooperação ao nível regional porque, às vezes, estamos demais concentrados para promover os países só na capital e eu acho importante sair um pouco da capital”, afirma.

De acordo com o vereador da Cultura da Câmara Municipal, Mário Nuno Neves, este era um bom momento para dar a conhecer à comunidade maiata um país que “muito provavelmente não terá muitos meios, apesar de ser europeu e que a população não fosse assim não teria condições de conhecer”. A Croácia é um país que tem um relacionamento muito especial com a União Europeia e a nós, enquanto portugueses, interessa-nos estabelecer boas relações e a melhor forma de fazer relações inter Estados é aproximando as pessoas e, portanto, nada melhor do que uma actividade que é produto exclusivo do trabalho das pessoas, que é o artesanato, para começar a construir esses laços”, justifica.

Quanto à participação portuguesa, o vereador considera que a Feira já se afirmou como um certame “de qualidade” e que por isso, os artesãos representam o que de melhor se faz em Portugal. E os números de visitantes “também espelham essa importância que a feira já tem para a Área Metropolitana do Porto”.

No ano passado, passaram pela Feira de Artesanato da Maia cerca de 210 mil visitantes e a organização não esconde que espera superar os números de 2009. Mas Mário Nuno Neves afirma que “liga pouco” ao facto de ter mais dez ou menos dez mil. “A feira também beneficia do facto de estar inserido nas festas do concelho, assim como a festa beneficia com a feira, não só queremos criar boas condições quer para quem visita, quer para quem está aqui em exposição”.

Isabel Fernandes Moreira