Festas em honra de Nossa Senhora da Hora com mais um desfile de canastras

0
295

Música, fanfarra, banda de música, fogo de artifício, procissão e missa solene. Resumidamente é este o programa de festas em honra de Nossa Senhora da Hora que decorre este fim-de-semana em Nogueira da Maia. Três dias de intensa festa que prometem animar todos aqueles que se deslocarem à freguesia durante estes dias.

O programa religioso já arrancou há uma semana, no dia 8, com a recitação do terço, que termina hoje, dia de Nossa Senhora de Fátima, às 20h00. Para domingo, às 11h00 está marcada a celebração da Missa Solene em honra de Nossa Senhora da Hora. A eucaristia vai ser presidida pelo reverendo padre José Silva e vai contar com a participação do Grupo Coral. Às 16h30 há recitação do terço com sermão.
Mas um dos pontos altos da componente religiosa é sempre a majestosa procissão, que sai às 16h30. O cortejo é composto por três andores – Nossa Senhora da Hora, Nossa Senhora Fátima e S. Miguel. Mas também não vão faltar anjos, figurantes, confrarias, as canastras, o Páleo, as entidades convidadas e a Banda de Música de Moreira da Maia.

Os andores são enfeitados por pessoas que fazem promessas. Tem sido assim desde o primeiro ano. “Às vezes com mais dificuldade do que outras vezes mas tem sido sempre assim”, afirma o coordenador da comissão de festas, Ilídio Carneiro. Aos andores junta-se também o interior da capela que é todo ornamentado com flores. “Temos conseguido que as pessoas sejam generosas porque ainda são umas largas dezenas de euros”, acrescenta.

Este ano, assume que estavam com dificuldade em arranjar quem enfeitasse o andor de S. Miguel “porque não lhe fazem muitas promessas”. No entanto, a organização fez um sorteio de Carnaval para angariar fundos e conseguiram que o vencedor do 1º prémio, “em conversa”, acabasse por fazer reverter o dinheiro para o enfeite do andor. “A senhora vai enfeitar o andor com o prémio do sorteio”.
Para o dia 16 está também marcada uma missa de Acção de Graças, na capela do Monte de Nossa Senhora da Hora para assinalar o encerramento das festas 2011.
Mas para além do programa religioso, é preciso “animar a malta”. E para isso, a organização preparou um programa diversificado. No primeiro ano só tiveram a chamada animação musical na sexta-feira e no sábado. No ano passado decidiram estender essa animação para o domingo e, face ao sucesso conseguido, decidiram manter o modelo.

Fruto da “crise”, sublinha Ilídio Carneiro, este ano, não faltaram interessados em actuar nas festas de Nogueira da Maia. “Esta vida não está fácil para ninguém e este ano tive uma concorrência tal em termos de apresentação de orçamentos para a festa que fiquei abismado. Toda a gente queria fazer a festa, a todos os níveis, ornamentação, bandas de música e até conjuntos musicais”. Isso também permitiu à organização negociar de uma outra forma, acrescenta o coordenador. “A crise instalou-se e está instalada também no mundo musical e isso permitiu-nos jogar e baixar custos, mantendo um determinado nível.
O grupo Aguarela é o primeiro a actuar. É esta noite, a partir das 21h30. Amanhã, sábado, sobe ao palco, também a partir das 21h30, o grupo UKAPA. J. Simão é quem vai encerrar o programa musical, no domingo. São grupos de música de baile, a preferida dos “consumidores” e “que anima a rapaziada”. “Nota-se que a população gostar de ouvir e de dar o seu pé de dança durante as actuações”. Aliás, J. Simão já participou em algumas das festas organizadas pela comissão para angariar fundos e “é sempre um sucesso”. Por isso, Ilídio Carneiro acredita que será a sua actuação a levar mais gente ao Monte da Senhora da Hora.
Também não há festa se faltar o fogo de artifício. E isso não vai faltar em Nogueira da Maia. A primeira sessão de fogo será às 24h00 de amanhã, a segunda e no domingo. Uma sessão de fogo de jardim, às 24h00, faz o encerramento das festas.

Para a edição deste ano está então definido um orçamento de cerca de 25 mil euros. É um valor que se tem mantido há cerca de três anos. E deverá manter-se assim, pelo menos, enquanto Ilídio Carneiro for coordenador. “Não estou para entrar em loucuras e acabar com a festa”, afirma.
É que os constrangimentos financeiros levaram a um interregno na organização das festas. No entanto, as festividades acabaram por ser retomadas em 2009. Mas Ilídio Carneiro avisa que é preciso não entrar em grandes aventuras. “Não podemos entrar em disparates e se há um ano em que se consegue arranjar mais dinheiro, no ano seguinte pode não acontecer isso. Portanto, tem que haver aqui um equilíbrio e determinar objectivos. Vamos fazer uma festa à altura do nosso meio até determinado montante e não há cá grandes loucuras”.

Essa foi uma das imposições do também presidente da Junta de Freguesia e tem sido assim desde que retomaram os festejos em honra de Nossa Senhora da Hora.
Por exemplo, do ano passado sobrou um saldo reduzido para a edição deste ano. Vale-lhes o saldo do primeiro ano, ou seja, de 2009. “Esse sim foi um saldo bom e vai-nos ajudar um bocado este ano e estou convencido que no final deste ano também vamos ficar com um saldo mais ou menos jeitoso que dá para ajudar para o ano”, sublinha o coordenador.

E em tempo de crise é preciso pensar em formas de financiamento para as festas. Por exemplo, nesta altura, a junta de freguesia decidiu dar a exploração do bar e da esplanada que abriu no Monte da Senhora da Hora à comissão de festas. “As coisas não estão fáceis para arranjar dinheiro e esta é uma forma de ir aguentando a festa, dando a exploração gratuita do bar à comissão”. Sendo assim, os mordomos (nomeado pela igreja para angariar fundos para que a festa se possa realizar) dividiram-se por sete equipas que diariamente asseguram o funcionamento do bar. “Todos os fins-de-semana há “festa” para angariar dinheiro para a Senhora da Hora”.
Ilídio Carneiro considera que, no geral, o programa das festas é “bom”. “Todos os dias temos festa, o nível que vai ser apresentado é um nível médio, médio o bom, dentro da nossa dimensão de festa”. Três dias de intensa animação que prometem alegrar as festas em honra de Nossa Senhora do Monte.

Desfile de Canastras Floridas assegura tradição

Uma das tradições que se mantém, ano após ano, nas festas em honra de Nossa Senhora da Hora, é o desfile de Canastras Floridas. E amanhã lá se cumpre, mais uma vez, a partir das 16h00. O cortejo sai do Adro da Igreja até ao Monte da Senhora da Hora, a que se segue a actuação da Fanfarra de Gaitas de Pontevedra, uma novidade do programa para o dia do cortejo.
Embora não sendo preciso no que toca a datas, o coordenador da comissão de festas sabe que a tradição do cortejo das Canastras Floridas em Nogueira nasceu numa altura em que se realizava também na Maia e em Moreira da Maia. Depois, voltaram a realizar-se quando começaram a organizar as festas em honra de Nossa Senhora da Hora, conta Ilídio Carneiro.

Depois de um interregno, foi Nélson Ferraz, na altura responsável pela organização das festas, que decidiu retomar esta tradição, “e muito bem”, reconhece o actual coordenador. Desde essa altura, “felizmente temos conseguido aguentar e manter porque isso dá muito trabalho”.
Mas as canastras desses tempos não têm nada a ver com as que são elaboradas actualmente. “Antigamente eram de murta e depois eram enfeitadas com flores do campo que as pessoas arranjavam”. Hoje em dia, as pessoas já recorrem a outro tipo de materiais, na sua maioria sejam produtos naturais, com algumas pinturas em cima das flores para dar determinados efeitos e coloridos.
Ao todo, na edição deste ano, vão desfilar oito canastras, dos diferentes lugares da freguesia e das três escolas – Monte Calvário, Barroso (repetente) e EB 2,3 de Nogueira.
A comissão de festas preocupa-se em arranjar em cada lugar duas ou três pessoas que assumam a responsabilidade pela criação da cesta com a canastra florida. Depois, essas pessoas é que tratam de procurar ajuda para a sua concretização.

Ilídio Carneiro mostra-se satisfeito com a participação dos estabelecimentos de ensino uma vez que é uma possibilidade de assegurar a continuidade desta tradição. “Depois de uma conversa com a directora o agrupamento, consegui que fosse integrado no programa das escolas e isto é uma forma de incutir nos meninos aquela que é uma tradição da sua terra, na esperança de que eles fiquem a gostar da experiência e, no futuro, assegurem a sua continuidade ”, salienta o autarca de Nogueira da Maia.
A parte mais difícil deste processo, reconhece o presidente da junta, é definir os temas. Cada lugar tem a liberdade de escolher o seu tema. E o mais interessante, sublinha Ilídio Carneiro, é que procuram esconder uns dos outros os temas que vão ser explorados por cada um. “Não há imposição nenhuma. Cada lugar faz a canastra como entende”.

O que a organização tem notado é que as pessoas têm cada vez mais uma preocupação de aperfeiçoar aquilo que apresentam. “Isso nota-se de ano para ano. Há uma vaidade das pessoas”.
Certo é que, apesar de não haver um prémio a ser atribuído, Ilídio Carneiro reconhece uma certa “rivalidade”, ainda que saudável entre os lugares da freguesia. “Nós não alimentamos essa questão de premiar a melhor porque isso pode levar à desmotivação dos restantes”. No entanto, nota-se o olhar das pessoas e os seus comentários. “Nota-se uma determinada vaidade em procurar fazer melhor do que os outros lugares”.
Apesar da Junta de Freguesia de Nogueira da Maia estipular no seu orçamento uma verba a atribuir aos lugares para a realização das canastras floridas, a verdade é que os lugares não têm recorrido a ela, assumindo todos os custos. “Entre si, ou nas casas à volta, vão pedindo e têm elaborado as canastras e isso tem acontecido também com as escolas, onde os pais colaboram”. “ E é assim que temos mantido a tradição”. E será assim, novamente, amanhã, a partir das 16h00, entre o Largo da Igreja e o Monte de Nossa Senhora da Hora.

Isabel Fernandes Moreira

Programa 2011

Dia 8 a 13
20h00 recitação do terço no Monte de Nossa Senhora da Hora
Dia 12
21h30 Procissão de velas da Igreja Matriz até à capela do Monte de Nossa Senhora da Hora
Dia 13
21h30 Actuação do Grupo de música de baile “Aguarela”
Dia 14
16h00 Concentração de Canastras Floridas no Adro da Igreja seguindo em cortejo para o Monte de Senhora da Hora
Actuação da Fanfarra de Gaitas de Pontevedra
20h30 Missa Vespertina na capela do Monte de Nossa Senhora da Hora
21h30 Actuação do grupo de música “Ukapa”
24h00 Sessão de fogo artifício
Dia 15
09h00 Entrada da Banda de Música de Moreia no largo do Barroso
11h00 Celebração da Missa Solene em honra de Nossa Senhora da Hora presidida pelo reverendo padre José Silva com a participação do Grupo Coral
16h30 Recitação do terço com sermão e participação do grupo coral
16h30 Majestosa procissão em honra de Nossa Senhora da Hora onde se integra o seu Andor, bem como os andores de Nossa Senhora Fátima e de S. Miguel, anjos, figurantes, confrarias, canastras, Páleo, entidades e a Banda de Música de Moreira da Maia
21h30 Actuação do grupo J. Simão
24h00 Fogo de Jardim
Dia 16
21h30 Missa de Acção de Graças na capela do Monte de Nossa Senhora da Hora para encerramento das festas de 2011