Grande auditório do Fórum em renovação

0
296

O grande auditório do Fórum da Maia está em obras. Inaugurado em 1991, e sempre com uma utilização intensa, o espaço apresentava já algumas deficiências em termos de condições para acolher o público e também no que se refere à instalação sonora.

O vereador da cultura, Mário Nuno Neves lembra que o espaço nunca foi alvo de qualquer renovação ao longo de quase duas décadas. “Houve necessidade de proceder a uma renovação do espaço. Substituir chão, cadeiras, iluminação e tudo que seja tecnologia relacionada com questões sonoras. Há uma série de situações que precisavam de uma intervenção rápida e profunda”, explicou Mário Nuno Neves.
Com esta intervenção, a autarquia pretende dotar o grande auditório de tecnologias mais modernas e proporcionar um maior conforto ao público, mantendo os 700 lugares sentados.

As obras deverão estar concluídas em finais de Junho. Relativamente ao investimento da autarquia, que suportará totalmente os custos da renovação do espaço, Mário Nuno Neves não adianta valores. Diz apenas que estão envolvidos “vários milhares de euros”. “Há vários orçamentos parciais. E há intervenções que a decisão de as fazer ou não, só será tomada à medida que a obra vai avançando”, explicou o vereador da cultura. Assim, só no final da obra é que será possível determinar o valor do investimento da autarquia na renovação da maior sala de espectáculos do município. “É das tais despesas às quais não se podia fugir, sob pena do auditório, mais dia menos dia ficar sem condições para as funções que está destinado”, esclarece Mário Nuno Neves.

O grande auditório do Fórum da Maia tem sido o palco de grande parte das iniciativas culturais do município, como o Festival de Música da Maia e o Festival Internacional de Teatro Cómico. A intervenção coincidiu precisamente com o festival de música. Entre não fazer o festival e fazê-lo num espaço mais limitado, o pelouro da cultura e a autarquia optaram pela segunda hipótese. Ou seja, transferir o festival para o palco do auditório Venepor, com apenas metade da capacidade do grande auditório.

Fernanda Alves